terça-feira, 21 de novembro de 2017

O ritmo infantil não é como o do relógio


“Quando não respeitamos o RITMO da criança, ela se sente menos capaz, menos rápida, menos esperta, começa a dizer “NÃO CONSIGO” e aí vai gradativamente anulando, dessa forma, o valioso sentido do ritmo infantil: a genuína capacidade de serem cientistas natos, onde observam, se interessam, exploram, questionam, descobrem e desfrutam dessa descoberta de mundo toda delas..”
Percebi que meu ritmo não precisava ser o mesmo da minha pequena filha numa quinta feira dessas qualquer, dia em que ela tem uma atividade no clube (ballet). Antes de começar esse post, gostaria de ressaltar que sempre fui adepta ao movimento do “slow parenting” (pais sem pressa), que repudia o fato de muitos verem na infância uma corrida rumo à perfeição, onde crianças são cheia de atividades, viram “mini executivos” e mal tem tempo para o mais importante na vida deles – o livre brincar. Não. Eu sempre fui muito consciente dessa questão da importância do tempo para a criança, tanto é que a única atividade que minha Clarinha, de 3 anos, faz fora da escola é o ballet uma vez na semana, por que ela quis.

Mas sou humana, e como tal, muitas vezes erro feio. E um dia desses, percebi o quanto eu estava apressando minha filha, impondo meus ritmos já corrompidos pelo mundo aos seus ritmos, tão puros e naturais.

Foi assim…

Quando a aula dela acabou, ficamos um tempo lá resolvendo umas pendências e eu estava me sentindo muito angustiada, atrasada, juntando as coisas do ballet da Clara para colocar na mochila, já pensando no horário apertado, no almoço que ainda teria de preparar, no lanche que teria que colocar na lancheira, no banho que teria que dar nela para que entrasse fresquinha na escola a uma da tarde. E já eram quase 11h.

Enquanto juntava as coisas, já pensando em toda a logística do “como farei para encaixar tantas coisas em tão pouco tempo sozinha” eu pedi à Clara: “Filha, tire a sapatilha e coloque seu sapato”.

Ela não me deu ouvidos. Continuou girando, bailando, fazendo sua saia rodopiar. Mesmo ela podendo ela mesma fazer isso, pensando em ir mais rápido fui até ela, arranquei a sapatilha e coloquei o sapato. A peguei pela mãozinha e disse: “Vamos”. Na outra mãozinha, uma garrafinha de água.

No caminho de volta para o carro, ela parou para tomar sua água. Pediu sua bolachinha que estava na bolsa.

Aquilo me fez de alguma forma surtar por dentro. Estávamos atrasadas. Verbalizei isso: “Filha, te dou no carro, estamos atrasadas”. Ela abaixou a cabeça, continuou andando: “Mas eu queria agora!”.

Fiz prevalecer minha vontade. Dei no carro a bolachinha e la, já instalada na cadeirinha, ela tomou sua agua e lanchou. Consegui, como diariamente consigo, dar conta de tudo até o horário em que a levei cheirosinha para a escola. Quando a entreguei, um vazio me consumiu.

EU FIZERA DUAS COISAS QUE DEPOIS, AVALIANDO COM CALMA, CONSIDEREI HORRÍVEIS:

Primeiro: Eu fiquei fazendo por ela tudo o que ela poderia fazer sozinha, por pressa. Isso é muito ruim para o desenvolvimento dela e também para a sua auto-confiança. Como ela vai se sentir competente colocando seus sapatos se eu sempre vou até lá para calça-los mais rapidamente? Pode parecer uma enorme besteira o exemplo dos sapatos, mas leve essa lógica adiante: se tudo o que nossos filhos fizerem a gente tente ir até lá para apressar, eles nunca se sentirão competentes. Péssimo para a auto-estima. Além disso, crianças que vivem sob pressão, sem respeito aos próprios ritmos, tem muito mais dificuldades em serem independentes e criativas.

Segundo: Não é nenhuma novidade dizer que o tempo da criança nem sempre é o mesmo nosso. Do relógio. O tempo, ou ainda, o RITMO infantil não é como o nosso. Eu sou adulta, vivo com pressa, pois estou intoxicada por uma vida corrida. Mas a vida de uma criança de três anos não pode – e nem deve – estar contaminada com essa ansiedade mundana que sim, um dia ela vivenciará, mas que presente na vida dela hoje, não trará beneficio algum, muito pelo contrário.

Quando não respeitamos o RITMO da criança, assim como citei no numero 1, ela se sente menos rápida, capaz, esperta, e vai anulando, dessa forma, o valioso sentido da vagarosidade infantil: a genuína capacidade de serem pequenos cientistas natos, onde observam, se interessam, exploram, questionam, descobrem e desfrutam dessa descoberta de mundo toda delas.

Se Clara demora para calçar seus sapatos, é por que ela como criança precisa desse tempo. Enquanto ela calça, ela experimenta o formato de seus pés encaixando-se no calçado, verifica a melhor forma de encaixe, qual pertence a qual pé, verifica a melhor forma de fechar… Nada no ritmo infantil está contaminado com a pressa que coloca os adultos no automático, fazendo com que façamos, inclusive, muitas coisas sem que sequer pensemos o porque estamos fazendo daquela forma.

Enfim, aquilo me consumiu. Refleti muito e, quando fui pegar Clarinha na escola, a abracei forte e deixei que fizesse tudo no seu ritmo. Desde pegar a mochila, até entrar vagarosamente no carro, encaixando-se em sua cadeirinha. Enquanto ela fazia tudo no tempo dela, me olhava… No olhar, aquele questionamento, esperando se ela poderia fazer as coisas em seu ritmo. Apenas sorri. O sorriso tem o poder de dizer: “vai milha filha, faz no seu tempo, está tudo bem”.

Revendo meus ritmos, para respeitar os dela. O ritmo intrínseco da infância. Afinal, a pressa é toda minha e é absurdo jogar esse peso para ela tão cedo!
.
Marrie Ometto
.
Fonte: Mamãe Plugada

Biblioteca Virtual de Antroposofia

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Ampliando o poder do observador

By Prof. Horácio Frazão

10 de novembro de 2017

O Poder Quântico do observador é algo natural, é uma função da sua consciência, uma vez que a existência da matéria exige que uma mente esteja presente, caso contrário nada existe. Isto é uma perspectiva revolucionária. Se a nossa realidade depende da atividade de nossa mente, um raciocínio simples e lógico é: se eu mudar a forma da minha atividade mental eu altero, portanto, a realidade.



Esta alteração na realidade significa mudar a cadeia de eventos que te levam a uma realidade almejada. Experimentar uma realidade envolve tornar a possibilidade uma experiência consciente. O poder do observador pode ser amplificado se o seu nível de observação for forte o bastante, isto requer desenvolver um foco maior e aumentar o nível da sua energia.



Sempre que você acorda para começar o seu dia, o mundo lá fora até que você o observe é uma grande superposição, ou seja, vários estados potenciais de realidade.



Como você se prepara para observar o seu mundo quando acorda? Em outra palavras, qual o tipo de pensamento que você desencadeia logo cedo? Ir para a luta? Ter que matar um leão? Enfrentar as dificuldades? Resolver problemas? Ou se abrir para o campo das possibilidades infinitas?



O poder do observador representa a possibilidade de criarmos além das nossas rotinas e despertar cada vez mais o maior número de possibilidades para ampliar a nossa realidade. Se você realmente entender isso que expus, você estará realmente adotando o paradigma quântica na prática da sua vida. Um observador modifica o estado potencial de uma partícula. Uma partícula tem vários futuros possíveis.



Quando um observador olha uma partícula ele decide o futuro que ela irá viver. Você é um participante desta experiência.



Descobri algo realmente essencial. Quando uma pessoa, por exemplo, se determina a parar de fumar ela inicia e opta por começar uma mudança de estilo de vida em sua rotina para superar o vício em tabaco. No entanto, quando ela não consegue ela se convence de que não teve força de vontade suficiente.



É aqui que se encontra a chave. É claro que faltou força, energia, mas não de vontade. É necessário um nível de energia alto para que o ato quântico da observação tenha realmente o poder de interferir na realidade de forma consistente e plasmar uma nova realidade, seja ela qual for e superar o padrão repetitivo.



Para tal, é fundamental incrementar o potencial de energia para expandir o poder do observador. As pessoas ficam muito preocupadas em manifestar uma nova realidade, mas se descuidam quanto ao seu potencial de energia, ao ponto de chegar ao nível crítico, ou seja, estresse agudo. Abaixo alguns hábitos que enfraquecem o poder do observador.



1 – Discussões improdutivas / Reversão: Lembre-se que quem quer ter razão é o seu ego. Seu espírito quer estar em paz.



2- Dormir pouco ou dormir em excesso. / Reversão: Preze por uma boa qualidade de sono, procurando não dormir muito tarde.



3- Excesso de atividade mental( pensar demais)/ Reversão: Crie um espaço para ficar em silêncio. 5 minutos por dia, para começar, irá fazer grande diferença. Apenas feche os olhos, sozinho e preste atenção em sua respiração. Quando inspirar, projete um pouco o abdômen, quando expirar retraia. Isto produz rapidamente uma desaceleração mental.



4 – Julgar e criticar as outras pessoas e a si mesmo / Abstenha-se de julgamentos e críticas, prestando atenção no momento em que o impulso automático do julgamento surge.



5- Queixar-se. A queixa cria lastro que o mantém preso na realidade problemática. 6- Ansiedade / Reversão: aumente a sua fixação em seu corpo, lembrando da sua respiração várias vezes ao dia. Isto irá lhe ajudar, gradualmente, a ficar em seu corpo e não no futuro.



6- Pouca ingestão de água. A água é uma interface fundamental entre mente e corpo, ela armazena informações, veicula e renova. Um corpo desidratado exigirá muito mais energia da sua consciência para compensar o seu funcionamento do que um corpo realmente bem hidratado. Parece que o imprint da criação, a semente de uma nova realidade, usa a água como meio de armazenamento e a comunicação cerebral funciona melhor em um ambiente biológico bem hidratado / Reversão: Ingira mais água proporcional ao seu peso. Faça o seguinte cálculo e encontrará quanto precisa ingerir: 0.045 x “SEU PESO''.



7 – DORMIR POUCO. O sono é uma fenômeno essencial para fortalecer a sua mente e contatar a dimensão da consciência quântica. Além de regular a sua saúde psicofísica / Reversão: Procure dormir com constância a partir das 23:00, pois assim, você aproveitará o ciclo da Melatonina, um hormônio essencial que regula o seu calendário neuroendócrino e quebrará o ciclo vicioso do estresse que reduz o seu poder de criação de realidade. Incorpore esses hábitos e verá que naturalmente o seu poder de observação, bem como a sua mente ganhará mais eficiência quântica em mudar sua realidade.

Horácio Frazão
https://www.facebook.com/perfilhoraciofrazao/posts/10203785238028011

Somos responsáveis por nossa escuridão

Quando estamos cegos aos nossos erros na vida que nos conduzem pelo caminho de sofrimento e desconexão, se recusarmos dar atenção a esses eventos e analisar os comportamentos que direcionaram esse caminho, nunca iremos Florescer. Devemos estar dispostos a ver nossos erros, os lugares onde podemos melhorar a nossa competência na gestão das nossas vidas, e onde podemos ser tão Autênticos e autônomos.

Não podemos aprender a melhorar a nós mesmos, a menos que estejamos dispostos a enfrentar nossas Trevas. Se pudermos ser objetivos e ver o nosso mau pensamento sem nos julgarmos como maior ou menor, bom ou ruim, apenas permanecendo com coração aberto e vontade de evoluir e mudar, então podemos mudar profundamente a qualidade de nossa vida e a dos outros.

Assumir a responsabilidade pelas áreas mais sombrias de nós mesmos significa que estamos dispostos a olhar para as áreas internas que comprometem o que estamos fazendo, causando danos, e que sabemos em profundidade não ser do nosso melhor interesse. Nós fazemos a escolha para disciplinar-nos para impedir pensamentos prejudiciais, comportamentos e ações, sendo realmente honestos conosco mesmos.

A consciência de avançar para mais ações positivas começa a trazer mudanças no campo que reorganiza nossas vidas baseando-se na verdade, e isso também ajuda a eliminar os implantes.

A cada decisão que tomamos, se escolhermos ouvir a verdade dentro e sermos honestos conosco mesmos, começamos a alinhar ainda mais a presença positiva da verdade. Este processo revela ainda mais coisas que possamos direcionar verdadeiramente, para evoluirmos para a mais elevada expressão do nosso potencial pessoal.

Quando nos sentimos mentalmente perturbados ou com tensão emocional, para dissipar o estresse interno precisamos saber como ter clareza sobre os nossos pensamentos e sentimentos que estão produzindo essa tensão. Podemos gerar formas de pensamento negativas recorrentes estimuladas automaticamente a partir de implantes de frequência anexados a nossa dor não resolvida localizada em nosso corpo de consciência.

Quando vivemos uma vida patológica, criamos uma sociedade patológica.

Quando ignoramos a presença da escuridão e continuamente toleramos danos por comportamento de autodestruição, cometemos um pecado contra a eterna Luz que existe dentro de nós. Devemos nos tornar o Amor e a Luz irradiados em nossa forma, para cumprir nosso propósito de nos tornarmos a pessoa Autêntica que devemos ser.

Assim, todos devem colocar algum esforço na vida para ser o tipo de pessoa que realmente quer ser - e precisamos da motivação para cuidar de nós próprios.

Desenvolva uma visão do que você gostaria que a sua vida fosse em relação ao tipo de pessoa que você quer tornar-se - a mais elevada expressão neste momento e no futuro.

Em seguida, foque numa visão positiva e fracione o objetivo em peças menores as quais você pode atingir todos os dias, a fim de criar uma vida significativa e espiritualmente conectada.

Se você atua no serviço para o todo maior, sua vida funcionará da melhor maneira possível. Não há nada mais prático na criação da melhor qualidade de vida para si mesmo. Por isso, como resultado de se comprometer ser a melhor pessoa que você pode ser neste mundo, acontece a resolução dos problemas e obstáculos que possam surgir.

Quando temos uma melhor compreensão de como os pensamentos e a mente são comprometidos com os implantes de controle, que são usados para produzir uma sociedade patológica, podemos melhor discernir a “agenda” e recusar participar dela.

O antídoto é lembrar que as transmissões de controle e a eliminação de implantes está em se conectar profundamente com seu espírito interior e desenvolver seu ser espiritual todos os dias com elevadas qualidades emocionais como o Amor Incondicional, Compaixão e Empatia, e genuinamente preocupar-se com o que acontece com as pessoas e com o planeta.

Por favor, tome o que é útil para o seu crescimento espiritual e descarte todo o resto. Agradeço sua coragem e bravura por ser um buscador da Verdade.

Eu Sou Divino, Soberano, e Livre!

Fique na luminosidade do seu caminho do Coração Avatar Christo Sophia.

Seja gentil consigo mesmo e com os outros.

Com um coração amoroso, Lisa.

ENERGETIC SYNTHESIS

2017 Lisa Renee

Newsletter Novembro 2017

by esnews@energeticsynthesis.com

Tradução Vilma Capuano

O Poder das palavras

ACREDITE NO PODER DAS SUAS PALAVRAS!


VOCÊ PODE TRANSFORMAR A SUA VIDA POR MEIO DELAS!


Você pode transformar a sua vida por meio das palavras que profere e da visão clara de tudo que almeja.



Se você conhecesse o poder das suas palavras, certamente, seria muito cuidadoso ao expressá-las. As palavras que você pronuncia produzem, continuamente, leis para a sua vida. Aquilo que você afirma, impressionando o seu subconsciente, você atrai como resultado.



Uma das atitudes mais construtivas e de grande impacto para o seu progresso e felicidade é a decisão de evitar, veementemente, qualquer afirmação que expresse o que não deseja. Salve a sua mente dos pensamentos errados e destrutivos!



Tudo o que você acredita, sejam os seus desejos ou os seus medos, torna-se a sua realidade. Em vez de atribuir aos outros ou às circunstâncias, os seus fracassos, lembre-se de que eles são o reflexo das suas crenças e afirmações.



Quando você estiver cheio de ideias perfeitas, inspiradas pelo seu superconsciente, que é a “mente de Deus” se manifestando em você, então, você terá poder e domínio sobre seu corpo, sua vida e seu destino.



Existe realmente um poder na linguagem falada. Se você deseja contribuir para o seu bem-estar e evolução, vigie as suas conversas, pois cada palavra que você expressa exerce uma ação na sua vida, em seu favor ou contra você.



As suas palavras possuem força vibratória capaz de produzir efeitos materiais, principalmente quando você as expressa com profunda emoção.



Se você fala frequentemente de dificuldades, doenças, escassez e miséria, involuntariamente, você atrai esses infortúnios. As suas afirmações devem estar sempre alinhadas aos seus desejos. Então, mesmo nas tribulações, você deve expressar-se de forma otimista e acreditar sempre em dias melhores. Assim, as suas forças internas vão tomar uma direção superior e edificante.



Palavras bem-intencionadas, motivações nobres e ideias elevadas, levam ao bom êxito.



As suas dificuldades desaparecerão quando você parar de lutar contra o fluxo natural dos fatos, deixar de resistir aos acontecimentos e permitir que a sua vida flua. A aceitação lhe trará a paz que tanto busca, a consciência de que tudo tem um propósito e que, ao final da jornada, tudo faz sentido. Toda ideia de medo será anulada, se você reconhecer que Deus protege os seus interesses e que qualquer situação de ameaça será revertida.



Os nossos maiores inimigos estão dentro de nós. Todas as angústias são decorrentes da falta de sossego mental. Vigie os seus pensamentos e conversas.



No jogo da vida, o que você fala sobre os outros, o que deseja aos outros, volta para você. Declare sorte, prosperidade, colabore para o bem do próximo, e o universo cooperará para o seu progresso. Assim funciona a lei.



O amor e a bondade sempre vencem. Toda infelicidade tem origem na transgressão da lei do amor. O egoísmo será um dos últimos inimigos que haveremos de vencer, à proporção que despertarmos para sentimentos de verdadeiro amor.



Se você buscar esclarecimento pela luz da verdade, fatalmente, você vai se esforçar para aprimorar o seu caráter e expressar pensamentos fraternos e desejos boa ventura, mesmo aos seus aparentes adversários. Nenhuma má intenção dirigida contra os seus bons pensamentos pode prosperar, porque você terá criado uma grande aura de proteção em torno de si.



Pelas suas palavras, carregadas de boas energias e crenças, você pode criar mais e mais oportunidades para o seu progresso, em virtude da lei da atração mútua dos semelhantes.



As suas palavras são a varinha mágica com a qual você ordena para o universo, os seus desejos. Peça a Deus para iluminar a sua mente com ideias perfeitas. A sua faculdade imaginativa e criadora possui o poder de realização das suas aspirações.



Faça dos seus pensamentos e palavras, a mais sublime expressão de amor, verdade e justiça, para com você e seu próximo. E tenha certeza absoluta de que o seu suprimento é ilimitado e que todas as coisas necessárias para a sua felicidade serão manifestadas.



Governe os “ventos” da sua mente e assuma o leme da sua vida construindo o seu próprio destino.



Cris Grangeiro

Sou Jornalista e Coach de Relacionamentos. - Siga-me no Instagram: @crisgrangeirocoach

Publicado por Fatima dos Anjos

O que acontece quando julgamos os outros?

É difícil de acreditar, mas julgar os outros é algo muito comum. Algo que é contraditório quando muitas vezes solicitamos que, por favor, deixem de julgar os nossos atos, pois julgamos e somos julgados constantemente, sem que possamos evitar.



Mas o dano que o julgamento provoca é algo que merece a nossa reflexão. É preciso olhar o seu interior, olhar a si mesmo e deixar de investir tanto tempo em ver o que o resto das pessoas fazem, como fazem, por que fazem…





“A alma sempre tende a julgar os outros segundo o que pensa de si mesma”

– Giacomo Leopardi –

O que acontece quando julgamos os outros?



Quantas vezes você já se sentiu julgado de forma equivocada? Com certeza, muitas. Por isso, você deve evitar julgar as outras pessoas. Respeite o que os outros fizerem e decidirem, porque pode ser que, cedo ou tarde, você acabe fazendo isso que tanto critica.



A sua perspectiva não é a única!



Em muitas situações, não nos colocamos no lugar dos outros. A nossa visão é a única válida e isto nos impede de ver mais além e compreender outras perspectivas diferentes.



Quem disse que a sua forma de ver as coisas é a correta? Permita-se duvidar, aceitar que ambas as posturas podem ser corretas e que isto não faz uma melhor do que a outra. Nem sempre você tem razão. Você pode estar enganado e julgar os atos de alguém de forma equivocada.



Quando julgamos os outros, não conhecemos a história completa, o que há por trás dessa pessoa.

Compartilhar

Você só precisa olhar para si mesmo. Quantas pessoas existem que não têm ideia de tudo que você já passou?



Não tente procurar visões melhores ou piores, todas são válidas! Você pode rejeitar hoje algo que comece a agradá-lo amanhã.





Abra a sua mente e permita-se descobrir novas perspectivas para ampliar a sua visão de mundo. Comece a ser uma pessoa aberta e tolerante. Isto fará você ser uma pessoa melhor e lhe permitirá entender melhor os outros.



Os seus atos o definem



Quando você julga alguém, você está definindo a si mesmo. Você pode dar a sua opinião, mas criticar ou não entender essa pessoa não vai ajudá-la! Você está fazendo algo de bom por ela? O que você pretende realmente?



Quando você julga, a sua verdadeira intenção é fazer com que os outros vejam o mundo como você. Isso está certo e isso está errado, mas será que é realmente assim?



As diferenças não são negativas, pois nos ajudam a abrir a mente diante de situações diversas. Você não pode querer que alguém pense ou aja como você. Como já mencionei anteriormente, não há nada que seja melhor nem pior.



Julgar alguém pode causar muito dano a essa pessoa. Pense em uma situação na qual você foi julgado. Isso lhe ajudou de alguma forma? Fizeram você se sentir melhor? Escolher o caminho que lhe indicaram fez você mais feliz?



Julgar dói e por isso devemos ser muito cuidadosos e deixar de fazê-lo. Acreditamos que estamos ajudando quando, na verdade, estamos fazendo mal. Acreditamos que estamos orientando quando, em vez disso, estamos desorientando.



O que acontece quando julgamos os outros?



As aparências enganam



Neste ponto, está claro que, às vezes, o que vemos não é toda a realidade. Cada pessoa é um mundo. Você mesmo, como já falamos, tem situações e vivências pelas quais passou, com as quais sofreu e aprendeu, mas que só você conhece e compreende.



As outras pessoas também. Cada uma delas tem uma vida com as suas próprias particularidades. Não se trata de justificar seus atos; o que não queremos é julgá-los. As pessoas têm seus motivos e, mesmo que você não esteja de acordo, é preciso respeitá-los. Talvez amanhã você se veja fazendo exatamente aquilo que tanto questionou.



“As pessoas tomam caminhos diferentes na busca pela felicidade e a sua realização.



O fato de não caminharem pelo seu mesmo caminho não significa que se tenham perdido”



– Dalai Lama –



Se você é uma pessoa que julga os outros, pense primeiro em como você se sente quando alguém julga você.



Ao longo das nossas vidas, tudo o que nos acontece muda a nossa forma de ver as coisas. O que há alguns anos víamos como certo, agora talvez já não seja.



O que acontece quando julgamos os outros?

Seja flexível e nunca julgue. Você pode dar a sua opinião, mas sem procurar que as pessoas olhem a vida do mesmo jeito que você. Principalmente porque a sua não é a única visão válida.



“Nunca podemos julgar a vida dos outros,

porque cada um sabe da sua própria dor e da sua própria renúncia.

Uma coisa é você achar que está no caminho certo;

outra é achar que o seu caminho é o único”



– Paulo Coelho –

amenteemaravilhosa.com.br


Publicado por Fatima dos Anjos em 16 novembro 2017