sexta-feira, 24 de novembro de 2017

Há Luz no fim do túnel

Publicado por Fatima dos Anjos em 18 novembro 2017


"A maneira mais fácil e eficaz de dissolver esse (e na verdade, qualquer) programa mental é a técnica de compensação "...

A grande maioria do sofrimento tem raiz no chamado implante primário. O implante primário é o implante que todos recebemos na nossa entrada na quarentena da Terra há muitos milhares de anos. Este implante está posicionado no lobo frontal do cérebro, no plasma e no plano etérico - e tem a mensagem principal de que estamos separados da Fonte/Amor/Luz. Esta desconexão primária da Fonte atrai situações que refletem essa desconexão e criam mais sofrimento.

Uma vez que o nosso livre arbítrio se alinha ao implante, as forças da Luz não podem intervir na nossa vida, as orações não recebem resposta, a proteção é perdida, a confiança desaparece.

Esses implantes foram criados pelo grupo chimera há milhões de anos e foram reforçados pelo chimera no Grande Esquecimento de 1996, para evitar a ascensão planetária. Quando uma massa crítica desses implantes é dissolvida, toda a realidade construída de dualidade/maldade/sofrimento entrará em colapso e a Luz retornará.

Numa escala individual e coletiva, a chave para resolver esta situação é principalmente estarmos cientes da existência desses implantes.

A simples consciência do implante e do programa mental associado a ele acelerarão a sua dissolução. Então, as forças da Luz poderão intervir nas nossas vidas de forma mais direta e os pedidos e orações serão mais facilmente respondidos:

http://www.loveinactionnow.com/another-collective-request-…/

A maneira mais fácil e eficaz de dissolver esse (e na verdade, qualquer) programa mental é a técnica de compensação trazida à humanidade por Charles Berner (Yogeshwar Muni):

https://www.amazon.com/Mind-Clearing-Key-Mindf…/…/1849053073

Para resumir, podemos dissolver este programa mental, desassociando o nosso Eu do programa. Isso pode ser feito colocando a nossa mente alternativamente no estado associado ao programa (ou seja, estou separado da Fonte) e o seu oposto (eu sou um com a Fonte). Se você, alternadamente, fizer essas afirmações polares (talvez 10 minutos por dia), a sua mente irá desassociar-se de ambos os estados mentais polares (separado da Fonte/um com a Fonte) e o programa mental começará a ser derrubado, o plasma rotativo dissipa-se, o implante dissolve-se e a sua conexão com a Fonte/Amor/Luz será naturalmente reintegrada.

Você precisa estar ciente de que também a polaridade dupla positiva do programa na sua mente (eu sou um com a Fonte) irá se dissipar e será substituída por conexão genuína com a Fonte.

Há uma enorme diferença entre uma crença mental na conexão com a Fonte e a própria conexão real.

A Resistência (Equipe das Forças da Luz) também comunicou que, para diminuir o sofrimento, você precisa criar momentos positivos todos os dias.

Os métodos simples para isso incluem 1) passar o tempo na natureza, 2) concentrar-se em algo lindo e inspirador, 3) ter um passatempo, 4) diminuir a sua exposição aos meios eletrônicos, o que inclui menos exposição a sites, 5) ouvir música , 6) gastar tempo de qualidade com outras pessoas ".

Você pode ler esta atualização completa aqui; Return to Light: http://www.sementesdasestrelas.com.br/…/cobra-o-retorno-da-…

Precisamos de um foco agora ao encontrar e permanecer num estado de segurança interna. Paz e mais paz ao nosso redor. Ao escrever essas palavras, lembro o Arcanjo Miguel... A paz que precisamos é uma sensação bem fundamentada de paz terrena. Ao encontrar e permanecer num sentido de paz fundamentado agora, estamos a ser preparados para qualquer experiência de natureza espiritual emocional que possamos experimentar no momento do Evento.

Qualquer situação desarmoniosa nas nossas vidas que tenha sido tolerada desde há muito tempo deve terminar AGORA. Se permitirmos que a desarmonia nos afete regularmente, as coisas só podem degenerar. É hora de estabelecer limites.

Mensagem completa em: http://www.sementesdasestrelas.com.br/…/therese-zumi-summer…

https://www.facebook.com/vilma.capuano



╚══❘►Venham conhecer comunidade do Portal Arco Íris no facebook o link é:

https://www.facebook.com/PortalArcoIrisNucleoDeIntegracaoECuraCosmi...

Amppliando o poder do observador

Publicado por Fatima dos Anjos em 18 novembro 2017 às 22:38 em ECOLOGIA INTERIORBack to ECOLOGIA INTERIOR Discussions


By Prof. Horácio Frazão

O Poder Quântico do observador é algo natural, é uma função da sua consciência, uma vez que a existência da matéria exige que uma mente esteja presente, caso contrário nada existe. Isto é uma perspectiva revolucionária. Se a nossa realidade depende da atividade de nossa mente, um raciocínio simples e lógico é: se eu mudar a forma da minha atividade mental eu altero, portanto, a realidade.

Esta alteração na realidade significa mudar a cadeia de eventos que te levam a uma realidade almejada. Experimentar uma realidade envolve tornar a possibilidade uma experiência consciente. O poder do observador pode ser amplificado se o seu nível de observação for forte o bastante, isto requer desenvolver um foco maior e aumentar o nível da sua energia.

Sempre que você acorda para começar o seu dia, o mundo lá fora até que você o observe é uma grande superposição, ou seja, vários estados potenciais de realidade.

Como você se prepara para observar o seu mundo quando acorda? Em outra palavras, qual o tipo de pensamento que você desencadeia logo cedo? Ir para a luta? Ter que matar um leão? Enfrentar as dificuldades? Resolver problemas? Ou se abrir para o campo das possibilidades infinitas?

O poder do observador representa a possibilidade de criarmos além das nossas rotinas e despertar cada vez mais o maior número de possibilidades para ampliar a nossa realidade. Se você realmente entender isso que expus, você estará realmente adotando o paradigma quântica na prática da sua vida. Um observador modifica o estado potencial de uma partícula. Uma partícula tem vários futuros possíveis.

Quando um observador olha uma partícula ele decide o futuro que ela irá viver. Você é um participante desta experiência.

Descobri algo realmente essencial. Quando uma pessoa, por exemplo, se determina a parar de fumar ela inicia e opta por começar uma mudança de estilo de vida em sua rotina para superar o vício em tabaco. No entanto, quando ela não consegue ela se convence de que não teve força de vontade suficiente.

É aqui que se encontra a chave. É claro que faltou força, energia, mas não de vontade. É necessário um nível de energia alto para que o ato quântico da observação tenha realmente o poder de interferir na realidade de forma consistente e plasmar uma nova realidade, seja ela qual for e superar o padrão repetitivo.

Para tal, é fundamental incrementar o potencial de energia para expandir o poder do observador. As pessoas ficam muito preocupadas em manifestar uma nova realidade, mas se descuidam quanto ao seu potencial de energia, ao ponto de chegar ao nível crítico, ou seja, estresse agudo. Abaixo alguns hábitos que enfraquecem o poder do observador.

1 – Discussões improdutivas / Reversão: Lembre-se que quem quer ter razão é o seu ego. Seu espírito quer estar em paz.

2- Dormir pouco ou dormir em excesso. / Reversão: Preze por uma boa qualidade de sono, procurando não dormir muito tarde.

3- Excesso de atividade mental( pensar demais)/ Reversão: Crie um espaço para ficar em silêncio. 5 minutos por dia, para começar, irá fazer grande diferença. Apenas feche os olhos, sozinho e preste atenção em sua respiração. Quando inspirar, projete um pouco o abdômen, quando expirar retraia. Isto produz rapidamente uma desaceleração mental.

4 – Julgar e criticar as outras pessoas e a si mesmo / Abstenha-se de julgamentos e críticas, prestando atenção no momento em que o impulso automático do julgamento surge.

5- Queixar-se. A queixa cria lastro que o mantém preso na realidade problemática. 6- Ansiedade / Reversão: aumente a sua fixação em seu corpo, lembrando da sua respiração várias vezes ao dia. Isto irá lhe ajudar, gradualmente, a ficar em seu corpo e não no futuro.

6- Pouca ingestão de água. A água é uma interface fundamental entre mente e corpo, ela armazena informações, veicula e renova. Um corpo desidratado exigirá muito mais energia da sua consciência para compensar o seu funcionamento do que um corpo realmente bem hidratado. Parece que o imprint da criação, a semente de uma nova realidade, usa a água como meio de armazenamento e a comunicação cerebral funciona melhor em um ambiente biológico bem hidratado / Reversão: Ingira mais água proporcional ao seu peso. Faça o seguinte cálculo e encontrará quanto precisa ingerir: 0.035 x “SEU PESO''.

6 – DORMIR POUCO. O sono é uma fenômeno essencial para fortalecer a sua mente e contatar a dimensão da consciência quântica. Além de regular a sua saúde psicofísica / Reversão: Procure dormir com constância a partir das 23:00, pois assim, você aproveitará o ciclo da Melatonina, um hormônio essencial que regula o seu calendário neuroendócrino e quebrará o ciclo vicioso do estresse que reduz o seu poder de criação de realidade. Incorpore esses hábitos e verá que naturalmente o seu poder de observação, bem como a sua mente ganhará mais eficiência quântica em mudar sua realidade.



╚══❘►Venham conhecer comunidade do Portal Arco Íris no facebook o link é:

https://www.facebook.com/PortalArcoIrisNucleoDeIntegracaoECuraCosmi...

Você é especial mas não é importante

Publicado por Fatima dos Anjos em 18 novembro 2017 às 22:33 em ECOLOGIA INTERIORBack to ECOLOGIA INTERIOR Discussions


Por Prof. Horácio Frazão.

Normalmente nos sentimos importantes a partir da aquisição de novos pensamentos que nos dizem que somos alguma coisa. Eu sou isso, eu sou aquilo, eu tenho isso, eu tenho aquilo. Tudo isso é pensamentos que se aglomeram e que o colocam num modo de ilusão que reforçam apenas um falso senso de identidade de um pequenino eu rabugento que tem fome de pensamentos e memória para se manter existindo. Mas há algo muito maior e real que não precisa sequer de um só pensamento, seu Eu informe, O observador em você, a consciência.

Você quando experimenta o estado informe, quando consegue sentir a vida a partir desta perspectiva pura, percebe e constata que você não precisa da importância, pois você apenas É. Neste estado você descobre que não é importante e, sim, especial, pois você é um aspecto singular da criação. Qual é o tamanho dos seus problemas e dramas? Qual a intensidade do seu sofrimento? O Ponto que vê indicado pela seta na foto abaixo é o planeta Terra no qual a sua vida se desenrola. O feixe dourado é apenas uma fração de um raio solar que banha a Terra. O quanto você vive e o quanto você sofre?

Está levando tudo a sério? Você acha mesmo que você e seus problemas são importantes?

O universo lhe codifica como parte de si, e não como pessoa, logo para o universo seus dramas e problemas pessoais nunca existiram, eles só existem em sua cabeça adestrada para resistir ao que tudo pode ser.

O grau de importância que julga ter e o quão importante são os problemas que julga ter é uma simulação que está ocorrendo só na sua mente.

Aquele que sofre esses problemas, seu eu contraído, ego, está sempre em busca de razões e motivos que justifiquem o por que ele sofre. Lembre-se, quando deixar este plano, o único vestígio que irá restar é o espaço de poucos centímetros entre a data de seu nascimento e a data da sua passagem na lápide. Em menos de 50 anos ninguém lembrará deste eu transitório, desta identidade móvel. Viva e desfrute a vida.

Você não está aqui para sofrer e nem para ser algo para alguém ou para o mundo. Você está aqui para ser o que pode ser e realizar a sua alma. Portanto, seja responsável mas não seja sério''.



╚══❘►Venham conhecer comunidade do Portal Arco Íris no facebook o link é:

https://www.facebook.com/PortalArcoIrisNucleoDeIntegracaoECuraCosmi...

A Ciência do Todo: Integrando Matéria e Espírito


Publicado por Fatima dos Anjos em 19 novembro 2017


A ciência atualmente é uma faca de dois gumes. De um lado, aponta para uma realidade maior. Por outro lado, bloqueia inconscientemente nossa experiência direta dessa realidade maior. Para entender isto, vamos ver uma pequena explicação.



Desde o “O Tao da Física” de Fritjof Capra da década de 1970, tem havido livros que descrevem paralelos impressionantes entre a realidade descrita pela nova física e a realidade descrita pelos místicos. Ambos falam sobre interconexão, integridade, a “dança da energia” e o papel crítico da consciência. Ao mesmo tempo, a ciência tende a bloquear certos tipos de realidade porque ela se limita ao conhecimento do físico. Observa e estuda apenas os aspectos físicos do mundo e do ser humano.



Embora alguns cientistas tenham tentado levar a ciência além do reducionismo e para o holismo, ela permanece firmemente enraizada no físico. Continua a acreditar que a realidade física é a única realidade possível. Eu suspeito que isto está na raiz de nossas grandes crenças limitantes, por exemplo, que o universo começou sem motivo aparente, que a vida evoluiu por acaso neste planeta e que não temos existência antes da concepção e após a morte.



Se no entanto, estendermos a gama de faculdades humanas que usamos na busca do conhecimento, o próprio conhecimento se estenderia de acordo. Se isto acontecesse, nossas crenças sobre a natureza do Universo e da humanidade se transformariam. Isto é significativo porque são nossas crenças que determinam nossa vida, nossa economia, nossa política, nossa educação, nossa ciência, nossa cultura, nossos relacionamentos, nosso estilo de vida e muito mais. Mude suas crenças fundamentais, que você muda de pensamento e de comportamento. Enquanto isto, vamos examinar por que a ciência atual é efetivamente “a ciência do físico”.



Ciência do Físico

A ciência nasceu quando se tornou possível observar e medir as coisas com mais precisão. O telescópio e o microscópio desempenharam papéis centrais, mas também foram importantes os relógios, termômetros e balanças de precisão. Ser capaz de fazer isto trouxe muitos benefícios, e mudou nossa vida de maneiras importantes. Mas havia um preço a pagar. Foi apenas um pequeno passo entre ser capaz de observar melhor, quantificar coisas físicas e acreditar que se algo não fosse fisicamente observável ou quantificável, não era realmente importante ou talvez não existisse. De um golpe, toda uma série de experiências humanas foram empurradas para a margem.



Ao longo do tempo, a ciência tornou-se cada vez mais a ciência do físico, porque o conhecimento que ela gerou era sobre os aspectos físicos do Universo, os aspectos físicos do nosso planeta natal e os aspectos físicos do ser humano, com a exclusão de todos os outros aspectos. O problema surge porque a maioria dos cientistas em grande parte do mundo, acreditam que a ciência está explorando todos os aspectos possíveis do Universo e do ser humano.



Embora a ciência divulga muito coisa útil sobre o mundo e sobre nós mesmos, ela não nos fornece a imagem completa. É “a ciência de uma parte”. Existem dois motivos para isto. O primeiro é que o conhecimento científico está sempre mudando. Apesar das afirmações de alguns de que estamos perto de produzir uma “teoria do todo” ou de “conhecer a mente de Deus”, é importante lembrar que a história da ciência está repleta de cadáveres de “fatos difíceis” que tiveram que dar lugar a novos “fatos difíceis” à medida que fazemos novas descobertas. Isto é bem ilustrado pela nossa compreensão da natureza da matéria.



Ao mesmo tempo, em que somos convencidos de que tudo consiste em pequenas coisas sólidas que decidiram chamar de “átomos”, porque acharam que não poderia haver nada menor. Isto é o que a palavra “átomo” implica. Essa crença finalmente teve que ceder quando descobriram que os átomos eram consistidos de coisas ainda menores que decidiram chamar de “prótons”, “nêutrons” e “elétrons”. Por algum tempo, essa foi a “verdade” científica até que foi substituída por outra “verdade”, que prótons e nêutrons são construídos de coisas ainda menores, que podem não ser coisas, mas “probabilidades” ou “tendências de existir”.



Este processo de fatos que estão sendo substituídos por fatos mais recentes, é improvável que pare, e não existe motivo para supor que os fatos do início do século XXI sejam mais sacro santos do que os de qualquer outro período. Se fossem, acabaríamos por chegar ao ponto em que não existe mais para descobrir e aprender. Este seria o êxtase final, um tédio total. Independente de qualquer outra coisa, isto simplesmente não soa como verdade, ao lado dos assuntos diários humanos. Se como espécie, não conseguimos viver em paz e harmonia uns com os outros e com o planeta, afirmar que em breve saberemos quase tudo sobre qualquer coisa, soa como algo sem sentido. A probabilidade é alta de que o que conhecemos atualmente seja totalmente superado pelo que ainda não conhecemos.



A segunda razão pela qual a ciência é uma forma parcial de conhecimento é porque como todas as outras formas de conhecimento, a ciência depende dos meios para adquiri-lo. E nós é que somos os meios ! Somos nós quem adquirimos o conhecimento. Se utilizarmos todos nós para adquirir a busca do conhecimento na ciência, ela refletiria isto. Seria a ciência do todo. No entanto, se utilizarmos apenas uma parte de nós, o conhecimento científico será correspondentemente limitado. Será a ciência de uma parte. Se utilizamos quase que exclusivamente as partes físicas e intelectuais de nós mesmos na busca do conhecimento científico, a ciência vai refletir isto. É o conhecimento do físico e do racional. Se no entanto, utilizarmos partes de nós mesmos que quase nunca são usadas atualmente, como outras formas de consciência, nossa compreensão de quem somos e do que é o Universo, mudaria todo o nosso conhecimento. Antes de dizer algo sobre isto, vale a pena analisar por um momento a influência da ciência.



A Visão Dominante do Mundo

Em teoria, a ciência não tem uma visão de mundo, porque ela se baseia somente em evidências. Na prática, é correto dizer que as principais crenças da ciência são:



O Universo e tudo, incluído ele, é físico e somente físico. Os cientistas até falam sobre um Universo que consiste apenas em “energia”, mas não deixa dúvida nenhuma de que acreditam que esta energia seja física.

O Universo e tudo nele podem ser pensado como uma máquina.

O Universo não tem significado ou propósito intrínseco. Muitas coisas acontecem apenas por acaso.

A matéria é primária, e a consciência é secundária.

A causação é ascendente, no sentido de que se acredita que a “realidade primária” está no nível das coisas mais pequenas, como ondas e partículas.

Este conjunto de crenças tornou-se tão influente que todas as alegações metafísicas, religiosas e filosóficas que a contradizem tendem a ser rejeitadas. O fato é que estas crenças persistem apesar das descobertas na física e biologia que sugerem que o Universo é qualquer coisa menos uma máquina, que o "acaso" pode estar apenas no olho do espectador e que o Universo é rico em significado intrínseco. No entanto, à medida que a ciência continua a insistir, que o Universo começou de repente sem motivo “Big Bang” e a vida neste planeta surgiu por acaso, então o mundo em que a ciência insiste em acreditar deve ser realmente sem sentido.



Estas crenças estão causando todos os tipos de problemas para a ciência e os cientistas. Por exemplo, eles empurraram a experiência espiritual e o paranormal para uma caixa rotulada de: “Interessante, mas estranho. Que eu devo ignorar”. No entanto, o que acreditamos fortemente determina o que valorizamos. Se nossas crenças fundamentais são de que o Universo é pouco mais do que uma máquina altamente complexa, que consiste inteiramente em fisicalidade e que nós, também, somos pouco mais do que máquinas complexas, então nossos valores refletirão estas crenças. Serão valores mecânicos/materialistas, o que significa que tenderemos a dar alta prioridade às coisas materiais e à tecnologia. Certamente, não é por acaso que o consumismo e as novas tecnologias são as principais interesses no mundo, e que os especialistas financeiros e os especialistas em tecnologia são os novos sacerdotes.



Usei o termo “físico” como se o seu significado fosse evidente. Mas talvez seja necessário alguma explicação.



O Físico

Algo é físico se pode ser percebido por um ou mais dos nossos cinco sentidos físicos (visão, audição, etc.). O fato de não poder ser percebido diretamente porque está muito distante (uma galáxia distante) ou é muito pequeno (uma bactéria), ou muito sutil (uma onda de rádio). Para superar isto criamos uma extensão tecnológica aos nossos sentidos. Podemos perceber o muito distante com telescópios, o muito pequeno com microscópios, e o muito sutil com radar, rádio e outros dispositivos. O ponto a observar é que pelo menos um dos nossos cinco sentidos deve estar envolvido para algo ser definido como físico. Por definição, então, o não-físico é qualquer coisa que não pode ser percebida por nenhum dos nossos cinco sentidos, com ou sem a ajuda de tecnologia.



É assim porque a maioria dos cientistas e muitos dos seus admiradores normalmente não admitem a existência de modos de percepção além dos sentidos físicos, não admitem a possibilidade de outras formas de realidade, que podem ser generalizadas como “não físicas”. Eles continuam a acreditar que o Universo físico é um e o mesmo em todo o lugar. O erro que eles cometem é usar o seu “mapa” extremamente limitado para interpretar um mundo que não só transcende as limitações deste mapa, mas também transcende a compreensão de qualquer um de nós.



Os cientistas confiam exclusivamente em uma forma de percepção, seus sentidos físicos e extensões destes sentidos, para explorar o mundo. Talvez precisemos lembrar de que se usarmos apenas uma forma de percepção, a física, para ver e entender o mundo, o mundo responderá de acordo, parecendo ser somente físico e nada mais. Se usarmos outra forma de percepção, o mundo parecerá diferente. Isso é análogo ao ver o mundo através de diferentes lentes coloridas. Se olharmos através de uma lente vermelha, o mundo parece ser vermelho. Se olharmos através de um azul, parece ser azul. A realidade muda de acordo com a “lente” que usamos para vê-la.



Não há dúvida de que a “lente” física se tornou a lente de preferência quase universal. Eu digo “quase” porque existem algumas pessoas que são capazes de usar outras “lentes”, além do físico. Em outras palavras, eles têm acesso a outras formas de consciência. O mundo que elas experimentam é mais rico e mais extenso, porque eles experimentam o físico e o não físico. Mas temos que perguntar por que a “lente” física tornou-se a lente da preferência universal. Eu acredito que é porque para a grande maioria das pessoas, a “lente” não física ficou adormecida, por falta de uso ao longo de milênios. E acredito que existem boas razões para isto, mas está além do escopo deste artigo. O fato é que a maioria das pessoas hoje provavelmente não sabe nem mesmo que tal “lente” existe. No entanto, o que muitas pessoas têm é um vislumbre ocasional e fugaz do como seria se usassem suas “lentes” não físicas. Isso acontece quando elas têm tipos particulares de “experiências extraordinárias”.



A maioria de nós tem experiências extraordinárias de tempos em tempos. Pode ser um sonho vívido ou um poderoso senso de estar totalmente ligado a toda a criação, ou um sentimento de certeza absoluta de que acabamos de conhecer o amor de nossa vida. Embora cada um deles seja extraordinário, eles não são tão extraordinários, no sentido de que eles não representam uma ameaça à visão de mundo da ciência. Ela não leva em conta estas experiências. Por outro lado, existem diferentes tipos de experiências que muitas pessoas têm pelo menos uma vez em suas vidas. Estas incluem a telepatia, a precognição, a cura a distancia, a clarividência, uma experiência próxima à morte ou uma experiência fora do corpo. Isto não pode ser explicado pela ciência. Mas ela vai além disso. A ciência os rejeita ativamente não só porque acredita que são impossíveis, mas principalmente porque ameaçam sua visão de mundo. Eles são realmente impossíveis do ponto de vista da ciência do físico, mas isto é apenas porque a ciência tornou-se uma forma limitada de conhecimento. É porque a ciência vê o mundo através da “lente” do físico.



O Não Físico

Se queremos experimentar e compreender os aspectos não físicos de nós mesmos e do mundo, primeiro devemos desenvolver os meios para fazê-lo. Na prática, isso envolve desenvolver e usar formas de consciência que estão inativas na grande maioria das pessoas. O processo real de despertar e treinar esta “consciência adicional” não é fácil. É tanto um treinamento de caráter geral quanto um treinamento específico para poder experimentar a vontade o que possamos ter experimentado de forma aleatória e não frequente, sob a forma de uma experiência extraordinária. Se tivéssemos experimentado tal treinamento, o alcance de nossa percepção aumentaria consideravelmente e acredito que nossas vidas mudariam como consequência. Penso que vale a pena tentar imaginar algumas das mudanças.



Primeiro, experiências extraordinárias como a telepatia e a clarividência se tornariam uma parte normal e aceita de nossas vidas diárias. Isto sozinho mudaria muito sobre o que acreditamos ser verdade e possível. E isto por sua vez, certamente levaria a mudanças no nosso comportamento e no nosso estilo de vida.



Em segundo lugar, aprenderíamos sobre aspectos do Universo e do ser humano que desconhecemos completamente. O que pensamos hoje como fatos científicos indiscutíveis é o resultado da consciência (física) limitada. Isso mudaria a nossa compreensão de quem somos, como seres humanos, por que estamos aqui e do que somos capazes.



Em terceiro lugar, teríamos algo muito diferente para levarmos a sério. O que quero dizer com isto ? No momento, a maior fonte de seriedade do mundo é se preocupar, ou tentar resolver, os enormes problemas que continuamos criando para nós mesmos. Basta pensar na quantidade de tempo, dinheiro e energia dedicados para tentar resolver problemas. O fato de que muitas pessoas parecem derivar seu senso de importância em ter problemas para lidar, sugerindo que existe um interesse generalizado, embora inconsciente, em ter um suprimento confiável de problemas para lidar no futuro. Isto certamente age contra qualquer tentativa séria de resolver nossos problemas de uma vez por todas. Se no entanto, fizéssemos uso de nossas habilidades internas, veríamos que existem coisas muito diferentes para levarmos a sério, fontes muito diferentes de significado e propósito, que não têm nada a ver com problemas. Eu acredito que depois de deixarmos de ser uma raça criadora de problemas nos tornaremos uma raça que melhora a vida.



Conhecimento Esotérico

Gostaria de dizer algumas palavras sobre “conhecimento esotérico” porque acredito que terá um papel importante na “ciência do todo”. Em essência, o conhecimento esotérico é uma descrição coerente dos aspectos não-físicos da humanidade e do mundo, com algumas orientações sobre como se comportar e desenvolver com base nesta descrição. Provavelmente, as obras modernas mais conhecidas são a “Occult Science” de Rudolf Steiner, “A Treatise on Cosmic Fire” de Alice Bailey e as obras de Helena Blavatsky. Existem outras de diversas culturas, principalmente a Índia, o Egito e o Tibete, mas estão repletas de metáforas e simbolismos, enquanto os três escritores que mencionei tentam descrever o não-físico nos conceitos e na linguagem moderna.



É muito útil recorrer ao conhecimento esotérico e às tradições espirituais do mundo. Mas precisamos dar uma nova olhada neles. Precisamos estar seguros do que entendemos ser verdade. Precisamos saber quais fatos dentro destas tradições são verdadeiros, quais são parcialmente verdadeiros e quais são falsos. Isto implica em encontrarmos formas de verificar diretamente com nós mesmos, por isto a necessidade de despertar e treinar nossos “sentidos internos”. Quando fizermos isto, poderemos adicionar o conhecimento não físico (espiritual) , com o nosso conhecimento físico (ciência) que está evoluindo constantemente. Ao fazer isso, o que a ciência atualmente considera como não mensurável, ou mesmo impossível, será finalmente visto como mensurável e possível.



A Ciência do Todo

Embora seja impossível saber exatamente como a ciência do todo se desenvolverá, é possível dizer algo sobre seus principais “blocos de construção”. Na minha opinião, eles serão:



Estar aberto à possibilidade de que o Universo e os seres humanos tem aspectos não-físicos, bem como físicos.

Estar aberto à possibilidade de que todos nós temos “sentidos internos” adormecidos que quando despertados e treinados, nos darão acesso direto aos aspectos não-físicos de nós mesmos e do Universo.

Estar aberto à possibilidade de que o conhecimento esotérico, na forma de livros modernos (por exemplo, Steiner) e tradições antigas, descrevem e explicam algumas características do não-físico.

A disposição e a capacidade de ver conexões entre a ciência (por exemplo, algumas ideias na física quântica) e o conhecimento esotérico. O trabalho seminal de Capra foi mencionado, mas já houve muita exploração nesta área.

Novos conceitos mais amplos, que poderão acomodar novas e diferentes formas de conhecimento. Por exemplo, precisamos expandir o significado de “energia”, “universo”, “vida” e “espírito”, para citar apenas alguns.

Conclusão

Se quisermos preencher o vácuo espiritual criado pela ciência que apesar da perda de suas raízes espirituais, continua sendo útil para descobrir novos fatos e autenticar os existentes na visão física. No entanto, assim como os cientistas, as ferramentas atuais evoluíram para penetrar nos segredos do físico, então os cientistas do futuro irão evoluir as ferramentas para penetrar no não físico. Isto possibilitará o desenvolvimento de formas de percepção ainda não utilizadas efetivamente, nossos “sentidos internos”, até o ponto em que eles também serão tão úteis na busca do conhecimento e compreensão como os nossos cinco sentidos físicos familiares.



Também é importante reconhecer que nem a ciência física nem o conhecimento esotérico podem sozinhos nos dar a imagem completa. Cada um é uma forma parcial de conhecimento. Mas uma vez que ambos falam sobre o mesmo Universo e o mesmo ser humano, embora sob perspectivas diferentes e usando diferentes formas de percepção, eles são por definição, complementares um ao outro. Eles têm, portanto, o potencial de enriquecer e melhorar um ao outro.



Nada disso é provável que aconteça em breve. As pessoas não abandonam facilmente as crenças e os hábitos de uma vida, especialmente se essas são fontes de status, renda e segurança. Mesmo assim, as condições necessárias para o desenvolvimento e aceitação de uma ciência do todo já estão começando a surgir. Elas incluem:



Um grande número de pessoas estão reagindo ao materialismo grosseiro do nosso tempo, e estão procurando maneiras de viver de forma mais espiritual e ecologicamente correta.

O desenvolvimento pessoal, em todas as suas formas, está crescendo constantemente em popularidade. Muitas pessoas comprometidas com isto percebem que vai muito além do “sucesso” ou “objetivos de vida”. O desenvolvimento pessoal é, em última análise, sobre o desenvolvimento completo de você, todo o seu potencial, e isto certamente inclui partes de você que você ainda não descobriu, como as partes não-físicas.

Apesar de todas as suas realizações, a ciência não consegue responder às grandes questões e dar um significado mais profundo a vida. Muitas pessoas sentem isto e estão procurando maneiras de ultrapassar a visão limitada da ciência.

Embora não seja possível prever quando surgirá a ciência do todo, estou certo que surgirá algum dia. Quando isto acontecer, a compreensão de quem somos, de onde viemos e para onde vamos, mudará a todos profundamente. A vida para todos nós será muito diferente e muito mais gratificante.



©Chris Thomson



Origem: newdawnmagazine



Tradução e Divulgação: A Luz é Invencível ☼

terça-feira, 21 de novembro de 2017

O ritmo infantil não é como o do relógio


“Quando não respeitamos o RITMO da criança, ela se sente menos capaz, menos rápida, menos esperta, começa a dizer “NÃO CONSIGO” e aí vai gradativamente anulando, dessa forma, o valioso sentido do ritmo infantil: a genuína capacidade de serem cientistas natos, onde observam, se interessam, exploram, questionam, descobrem e desfrutam dessa descoberta de mundo toda delas..”
Percebi que meu ritmo não precisava ser o mesmo da minha pequena filha numa quinta feira dessas qualquer, dia em que ela tem uma atividade no clube (ballet). Antes de começar esse post, gostaria de ressaltar que sempre fui adepta ao movimento do “slow parenting” (pais sem pressa), que repudia o fato de muitos verem na infância uma corrida rumo à perfeição, onde crianças são cheia de atividades, viram “mini executivos” e mal tem tempo para o mais importante na vida deles – o livre brincar. Não. Eu sempre fui muito consciente dessa questão da importância do tempo para a criança, tanto é que a única atividade que minha Clarinha, de 3 anos, faz fora da escola é o ballet uma vez na semana, por que ela quis.

Mas sou humana, e como tal, muitas vezes erro feio. E um dia desses, percebi o quanto eu estava apressando minha filha, impondo meus ritmos já corrompidos pelo mundo aos seus ritmos, tão puros e naturais.

Foi assim…

Quando a aula dela acabou, ficamos um tempo lá resolvendo umas pendências e eu estava me sentindo muito angustiada, atrasada, juntando as coisas do ballet da Clara para colocar na mochila, já pensando no horário apertado, no almoço que ainda teria de preparar, no lanche que teria que colocar na lancheira, no banho que teria que dar nela para que entrasse fresquinha na escola a uma da tarde. E já eram quase 11h.

Enquanto juntava as coisas, já pensando em toda a logística do “como farei para encaixar tantas coisas em tão pouco tempo sozinha” eu pedi à Clara: “Filha, tire a sapatilha e coloque seu sapato”.

Ela não me deu ouvidos. Continuou girando, bailando, fazendo sua saia rodopiar. Mesmo ela podendo ela mesma fazer isso, pensando em ir mais rápido fui até ela, arranquei a sapatilha e coloquei o sapato. A peguei pela mãozinha e disse: “Vamos”. Na outra mãozinha, uma garrafinha de água.

No caminho de volta para o carro, ela parou para tomar sua água. Pediu sua bolachinha que estava na bolsa.

Aquilo me fez de alguma forma surtar por dentro. Estávamos atrasadas. Verbalizei isso: “Filha, te dou no carro, estamos atrasadas”. Ela abaixou a cabeça, continuou andando: “Mas eu queria agora!”.

Fiz prevalecer minha vontade. Dei no carro a bolachinha e la, já instalada na cadeirinha, ela tomou sua agua e lanchou. Consegui, como diariamente consigo, dar conta de tudo até o horário em que a levei cheirosinha para a escola. Quando a entreguei, um vazio me consumiu.

EU FIZERA DUAS COISAS QUE DEPOIS, AVALIANDO COM CALMA, CONSIDEREI HORRÍVEIS:

Primeiro: Eu fiquei fazendo por ela tudo o que ela poderia fazer sozinha, por pressa. Isso é muito ruim para o desenvolvimento dela e também para a sua auto-confiança. Como ela vai se sentir competente colocando seus sapatos se eu sempre vou até lá para calça-los mais rapidamente? Pode parecer uma enorme besteira o exemplo dos sapatos, mas leve essa lógica adiante: se tudo o que nossos filhos fizerem a gente tente ir até lá para apressar, eles nunca se sentirão competentes. Péssimo para a auto-estima. Além disso, crianças que vivem sob pressão, sem respeito aos próprios ritmos, tem muito mais dificuldades em serem independentes e criativas.

Segundo: Não é nenhuma novidade dizer que o tempo da criança nem sempre é o mesmo nosso. Do relógio. O tempo, ou ainda, o RITMO infantil não é como o nosso. Eu sou adulta, vivo com pressa, pois estou intoxicada por uma vida corrida. Mas a vida de uma criança de três anos não pode – e nem deve – estar contaminada com essa ansiedade mundana que sim, um dia ela vivenciará, mas que presente na vida dela hoje, não trará beneficio algum, muito pelo contrário.

Quando não respeitamos o RITMO da criança, assim como citei no numero 1, ela se sente menos rápida, capaz, esperta, e vai anulando, dessa forma, o valioso sentido da vagarosidade infantil: a genuína capacidade de serem pequenos cientistas natos, onde observam, se interessam, exploram, questionam, descobrem e desfrutam dessa descoberta de mundo toda delas.

Se Clara demora para calçar seus sapatos, é por que ela como criança precisa desse tempo. Enquanto ela calça, ela experimenta o formato de seus pés encaixando-se no calçado, verifica a melhor forma de encaixe, qual pertence a qual pé, verifica a melhor forma de fechar… Nada no ritmo infantil está contaminado com a pressa que coloca os adultos no automático, fazendo com que façamos, inclusive, muitas coisas sem que sequer pensemos o porque estamos fazendo daquela forma.

Enfim, aquilo me consumiu. Refleti muito e, quando fui pegar Clarinha na escola, a abracei forte e deixei que fizesse tudo no seu ritmo. Desde pegar a mochila, até entrar vagarosamente no carro, encaixando-se em sua cadeirinha. Enquanto ela fazia tudo no tempo dela, me olhava… No olhar, aquele questionamento, esperando se ela poderia fazer as coisas em seu ritmo. Apenas sorri. O sorriso tem o poder de dizer: “vai milha filha, faz no seu tempo, está tudo bem”.

Revendo meus ritmos, para respeitar os dela. O ritmo intrínseco da infância. Afinal, a pressa é toda minha e é absurdo jogar esse peso para ela tão cedo!
.
Marrie Ometto
.
Fonte: Mamãe Plugada

Biblioteca Virtual de Antroposofia

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Ampliando o poder do observador

By Prof. Horácio Frazão

10 de novembro de 2017

O Poder Quântico do observador é algo natural, é uma função da sua consciência, uma vez que a existência da matéria exige que uma mente esteja presente, caso contrário nada existe. Isto é uma perspectiva revolucionária. Se a nossa realidade depende da atividade de nossa mente, um raciocínio simples e lógico é: se eu mudar a forma da minha atividade mental eu altero, portanto, a realidade.



Esta alteração na realidade significa mudar a cadeia de eventos que te levam a uma realidade almejada. Experimentar uma realidade envolve tornar a possibilidade uma experiência consciente. O poder do observador pode ser amplificado se o seu nível de observação for forte o bastante, isto requer desenvolver um foco maior e aumentar o nível da sua energia.



Sempre que você acorda para começar o seu dia, o mundo lá fora até que você o observe é uma grande superposição, ou seja, vários estados potenciais de realidade.



Como você se prepara para observar o seu mundo quando acorda? Em outra palavras, qual o tipo de pensamento que você desencadeia logo cedo? Ir para a luta? Ter que matar um leão? Enfrentar as dificuldades? Resolver problemas? Ou se abrir para o campo das possibilidades infinitas?



O poder do observador representa a possibilidade de criarmos além das nossas rotinas e despertar cada vez mais o maior número de possibilidades para ampliar a nossa realidade. Se você realmente entender isso que expus, você estará realmente adotando o paradigma quântica na prática da sua vida. Um observador modifica o estado potencial de uma partícula. Uma partícula tem vários futuros possíveis.



Quando um observador olha uma partícula ele decide o futuro que ela irá viver. Você é um participante desta experiência.



Descobri algo realmente essencial. Quando uma pessoa, por exemplo, se determina a parar de fumar ela inicia e opta por começar uma mudança de estilo de vida em sua rotina para superar o vício em tabaco. No entanto, quando ela não consegue ela se convence de que não teve força de vontade suficiente.



É aqui que se encontra a chave. É claro que faltou força, energia, mas não de vontade. É necessário um nível de energia alto para que o ato quântico da observação tenha realmente o poder de interferir na realidade de forma consistente e plasmar uma nova realidade, seja ela qual for e superar o padrão repetitivo.



Para tal, é fundamental incrementar o potencial de energia para expandir o poder do observador. As pessoas ficam muito preocupadas em manifestar uma nova realidade, mas se descuidam quanto ao seu potencial de energia, ao ponto de chegar ao nível crítico, ou seja, estresse agudo. Abaixo alguns hábitos que enfraquecem o poder do observador.



1 – Discussões improdutivas / Reversão: Lembre-se que quem quer ter razão é o seu ego. Seu espírito quer estar em paz.



2- Dormir pouco ou dormir em excesso. / Reversão: Preze por uma boa qualidade de sono, procurando não dormir muito tarde.



3- Excesso de atividade mental( pensar demais)/ Reversão: Crie um espaço para ficar em silêncio. 5 minutos por dia, para começar, irá fazer grande diferença. Apenas feche os olhos, sozinho e preste atenção em sua respiração. Quando inspirar, projete um pouco o abdômen, quando expirar retraia. Isto produz rapidamente uma desaceleração mental.



4 – Julgar e criticar as outras pessoas e a si mesmo / Abstenha-se de julgamentos e críticas, prestando atenção no momento em que o impulso automático do julgamento surge.



5- Queixar-se. A queixa cria lastro que o mantém preso na realidade problemática. 6- Ansiedade / Reversão: aumente a sua fixação em seu corpo, lembrando da sua respiração várias vezes ao dia. Isto irá lhe ajudar, gradualmente, a ficar em seu corpo e não no futuro.



6- Pouca ingestão de água. A água é uma interface fundamental entre mente e corpo, ela armazena informações, veicula e renova. Um corpo desidratado exigirá muito mais energia da sua consciência para compensar o seu funcionamento do que um corpo realmente bem hidratado. Parece que o imprint da criação, a semente de uma nova realidade, usa a água como meio de armazenamento e a comunicação cerebral funciona melhor em um ambiente biológico bem hidratado / Reversão: Ingira mais água proporcional ao seu peso. Faça o seguinte cálculo e encontrará quanto precisa ingerir: 0.045 x “SEU PESO''.



7 – DORMIR POUCO. O sono é uma fenômeno essencial para fortalecer a sua mente e contatar a dimensão da consciência quântica. Além de regular a sua saúde psicofísica / Reversão: Procure dormir com constância a partir das 23:00, pois assim, você aproveitará o ciclo da Melatonina, um hormônio essencial que regula o seu calendário neuroendócrino e quebrará o ciclo vicioso do estresse que reduz o seu poder de criação de realidade. Incorpore esses hábitos e verá que naturalmente o seu poder de observação, bem como a sua mente ganhará mais eficiência quântica em mudar sua realidade.

Horácio Frazão
https://www.facebook.com/perfilhoraciofrazao/posts/10203785238028011

Somos responsáveis por nossa escuridão

Quando estamos cegos aos nossos erros na vida que nos conduzem pelo caminho de sofrimento e desconexão, se recusarmos dar atenção a esses eventos e analisar os comportamentos que direcionaram esse caminho, nunca iremos Florescer. Devemos estar dispostos a ver nossos erros, os lugares onde podemos melhorar a nossa competência na gestão das nossas vidas, e onde podemos ser tão Autênticos e autônomos.

Não podemos aprender a melhorar a nós mesmos, a menos que estejamos dispostos a enfrentar nossas Trevas. Se pudermos ser objetivos e ver o nosso mau pensamento sem nos julgarmos como maior ou menor, bom ou ruim, apenas permanecendo com coração aberto e vontade de evoluir e mudar, então podemos mudar profundamente a qualidade de nossa vida e a dos outros.

Assumir a responsabilidade pelas áreas mais sombrias de nós mesmos significa que estamos dispostos a olhar para as áreas internas que comprometem o que estamos fazendo, causando danos, e que sabemos em profundidade não ser do nosso melhor interesse. Nós fazemos a escolha para disciplinar-nos para impedir pensamentos prejudiciais, comportamentos e ações, sendo realmente honestos conosco mesmos.

A consciência de avançar para mais ações positivas começa a trazer mudanças no campo que reorganiza nossas vidas baseando-se na verdade, e isso também ajuda a eliminar os implantes.

A cada decisão que tomamos, se escolhermos ouvir a verdade dentro e sermos honestos conosco mesmos, começamos a alinhar ainda mais a presença positiva da verdade. Este processo revela ainda mais coisas que possamos direcionar verdadeiramente, para evoluirmos para a mais elevada expressão do nosso potencial pessoal.

Quando nos sentimos mentalmente perturbados ou com tensão emocional, para dissipar o estresse interno precisamos saber como ter clareza sobre os nossos pensamentos e sentimentos que estão produzindo essa tensão. Podemos gerar formas de pensamento negativas recorrentes estimuladas automaticamente a partir de implantes de frequência anexados a nossa dor não resolvida localizada em nosso corpo de consciência.

Quando vivemos uma vida patológica, criamos uma sociedade patológica.

Quando ignoramos a presença da escuridão e continuamente toleramos danos por comportamento de autodestruição, cometemos um pecado contra a eterna Luz que existe dentro de nós. Devemos nos tornar o Amor e a Luz irradiados em nossa forma, para cumprir nosso propósito de nos tornarmos a pessoa Autêntica que devemos ser.

Assim, todos devem colocar algum esforço na vida para ser o tipo de pessoa que realmente quer ser - e precisamos da motivação para cuidar de nós próprios.

Desenvolva uma visão do que você gostaria que a sua vida fosse em relação ao tipo de pessoa que você quer tornar-se - a mais elevada expressão neste momento e no futuro.

Em seguida, foque numa visão positiva e fracione o objetivo em peças menores as quais você pode atingir todos os dias, a fim de criar uma vida significativa e espiritualmente conectada.

Se você atua no serviço para o todo maior, sua vida funcionará da melhor maneira possível. Não há nada mais prático na criação da melhor qualidade de vida para si mesmo. Por isso, como resultado de se comprometer ser a melhor pessoa que você pode ser neste mundo, acontece a resolução dos problemas e obstáculos que possam surgir.

Quando temos uma melhor compreensão de como os pensamentos e a mente são comprometidos com os implantes de controle, que são usados para produzir uma sociedade patológica, podemos melhor discernir a “agenda” e recusar participar dela.

O antídoto é lembrar que as transmissões de controle e a eliminação de implantes está em se conectar profundamente com seu espírito interior e desenvolver seu ser espiritual todos os dias com elevadas qualidades emocionais como o Amor Incondicional, Compaixão e Empatia, e genuinamente preocupar-se com o que acontece com as pessoas e com o planeta.

Por favor, tome o que é útil para o seu crescimento espiritual e descarte todo o resto. Agradeço sua coragem e bravura por ser um buscador da Verdade.

Eu Sou Divino, Soberano, e Livre!

Fique na luminosidade do seu caminho do Coração Avatar Christo Sophia.

Seja gentil consigo mesmo e com os outros.

Com um coração amoroso, Lisa.

ENERGETIC SYNTHESIS

2017 Lisa Renee

Newsletter Novembro 2017

by esnews@energeticsynthesis.com

Tradução Vilma Capuano

O Poder das palavras

ACREDITE NO PODER DAS SUAS PALAVRAS!


VOCÊ PODE TRANSFORMAR A SUA VIDA POR MEIO DELAS!


Você pode transformar a sua vida por meio das palavras que profere e da visão clara de tudo que almeja.



Se você conhecesse o poder das suas palavras, certamente, seria muito cuidadoso ao expressá-las. As palavras que você pronuncia produzem, continuamente, leis para a sua vida. Aquilo que você afirma, impressionando o seu subconsciente, você atrai como resultado.



Uma das atitudes mais construtivas e de grande impacto para o seu progresso e felicidade é a decisão de evitar, veementemente, qualquer afirmação que expresse o que não deseja. Salve a sua mente dos pensamentos errados e destrutivos!



Tudo o que você acredita, sejam os seus desejos ou os seus medos, torna-se a sua realidade. Em vez de atribuir aos outros ou às circunstâncias, os seus fracassos, lembre-se de que eles são o reflexo das suas crenças e afirmações.



Quando você estiver cheio de ideias perfeitas, inspiradas pelo seu superconsciente, que é a “mente de Deus” se manifestando em você, então, você terá poder e domínio sobre seu corpo, sua vida e seu destino.



Existe realmente um poder na linguagem falada. Se você deseja contribuir para o seu bem-estar e evolução, vigie as suas conversas, pois cada palavra que você expressa exerce uma ação na sua vida, em seu favor ou contra você.



As suas palavras possuem força vibratória capaz de produzir efeitos materiais, principalmente quando você as expressa com profunda emoção.



Se você fala frequentemente de dificuldades, doenças, escassez e miséria, involuntariamente, você atrai esses infortúnios. As suas afirmações devem estar sempre alinhadas aos seus desejos. Então, mesmo nas tribulações, você deve expressar-se de forma otimista e acreditar sempre em dias melhores. Assim, as suas forças internas vão tomar uma direção superior e edificante.



Palavras bem-intencionadas, motivações nobres e ideias elevadas, levam ao bom êxito.



As suas dificuldades desaparecerão quando você parar de lutar contra o fluxo natural dos fatos, deixar de resistir aos acontecimentos e permitir que a sua vida flua. A aceitação lhe trará a paz que tanto busca, a consciência de que tudo tem um propósito e que, ao final da jornada, tudo faz sentido. Toda ideia de medo será anulada, se você reconhecer que Deus protege os seus interesses e que qualquer situação de ameaça será revertida.



Os nossos maiores inimigos estão dentro de nós. Todas as angústias são decorrentes da falta de sossego mental. Vigie os seus pensamentos e conversas.



No jogo da vida, o que você fala sobre os outros, o que deseja aos outros, volta para você. Declare sorte, prosperidade, colabore para o bem do próximo, e o universo cooperará para o seu progresso. Assim funciona a lei.



O amor e a bondade sempre vencem. Toda infelicidade tem origem na transgressão da lei do amor. O egoísmo será um dos últimos inimigos que haveremos de vencer, à proporção que despertarmos para sentimentos de verdadeiro amor.



Se você buscar esclarecimento pela luz da verdade, fatalmente, você vai se esforçar para aprimorar o seu caráter e expressar pensamentos fraternos e desejos boa ventura, mesmo aos seus aparentes adversários. Nenhuma má intenção dirigida contra os seus bons pensamentos pode prosperar, porque você terá criado uma grande aura de proteção em torno de si.



Pelas suas palavras, carregadas de boas energias e crenças, você pode criar mais e mais oportunidades para o seu progresso, em virtude da lei da atração mútua dos semelhantes.



As suas palavras são a varinha mágica com a qual você ordena para o universo, os seus desejos. Peça a Deus para iluminar a sua mente com ideias perfeitas. A sua faculdade imaginativa e criadora possui o poder de realização das suas aspirações.



Faça dos seus pensamentos e palavras, a mais sublime expressão de amor, verdade e justiça, para com você e seu próximo. E tenha certeza absoluta de que o seu suprimento é ilimitado e que todas as coisas necessárias para a sua felicidade serão manifestadas.



Governe os “ventos” da sua mente e assuma o leme da sua vida construindo o seu próprio destino.



Cris Grangeiro

Sou Jornalista e Coach de Relacionamentos. - Siga-me no Instagram: @crisgrangeirocoach

Publicado por Fatima dos Anjos

O que acontece quando julgamos os outros?

É difícil de acreditar, mas julgar os outros é algo muito comum. Algo que é contraditório quando muitas vezes solicitamos que, por favor, deixem de julgar os nossos atos, pois julgamos e somos julgados constantemente, sem que possamos evitar.



Mas o dano que o julgamento provoca é algo que merece a nossa reflexão. É preciso olhar o seu interior, olhar a si mesmo e deixar de investir tanto tempo em ver o que o resto das pessoas fazem, como fazem, por que fazem…





“A alma sempre tende a julgar os outros segundo o que pensa de si mesma”

– Giacomo Leopardi –

O que acontece quando julgamos os outros?



Quantas vezes você já se sentiu julgado de forma equivocada? Com certeza, muitas. Por isso, você deve evitar julgar as outras pessoas. Respeite o que os outros fizerem e decidirem, porque pode ser que, cedo ou tarde, você acabe fazendo isso que tanto critica.



A sua perspectiva não é a única!



Em muitas situações, não nos colocamos no lugar dos outros. A nossa visão é a única válida e isto nos impede de ver mais além e compreender outras perspectivas diferentes.



Quem disse que a sua forma de ver as coisas é a correta? Permita-se duvidar, aceitar que ambas as posturas podem ser corretas e que isto não faz uma melhor do que a outra. Nem sempre você tem razão. Você pode estar enganado e julgar os atos de alguém de forma equivocada.



Quando julgamos os outros, não conhecemos a história completa, o que há por trás dessa pessoa.

Compartilhar

Você só precisa olhar para si mesmo. Quantas pessoas existem que não têm ideia de tudo que você já passou?



Não tente procurar visões melhores ou piores, todas são válidas! Você pode rejeitar hoje algo que comece a agradá-lo amanhã.





Abra a sua mente e permita-se descobrir novas perspectivas para ampliar a sua visão de mundo. Comece a ser uma pessoa aberta e tolerante. Isto fará você ser uma pessoa melhor e lhe permitirá entender melhor os outros.



Os seus atos o definem



Quando você julga alguém, você está definindo a si mesmo. Você pode dar a sua opinião, mas criticar ou não entender essa pessoa não vai ajudá-la! Você está fazendo algo de bom por ela? O que você pretende realmente?



Quando você julga, a sua verdadeira intenção é fazer com que os outros vejam o mundo como você. Isso está certo e isso está errado, mas será que é realmente assim?



As diferenças não são negativas, pois nos ajudam a abrir a mente diante de situações diversas. Você não pode querer que alguém pense ou aja como você. Como já mencionei anteriormente, não há nada que seja melhor nem pior.



Julgar alguém pode causar muito dano a essa pessoa. Pense em uma situação na qual você foi julgado. Isso lhe ajudou de alguma forma? Fizeram você se sentir melhor? Escolher o caminho que lhe indicaram fez você mais feliz?



Julgar dói e por isso devemos ser muito cuidadosos e deixar de fazê-lo. Acreditamos que estamos ajudando quando, na verdade, estamos fazendo mal. Acreditamos que estamos orientando quando, em vez disso, estamos desorientando.



O que acontece quando julgamos os outros?



As aparências enganam



Neste ponto, está claro que, às vezes, o que vemos não é toda a realidade. Cada pessoa é um mundo. Você mesmo, como já falamos, tem situações e vivências pelas quais passou, com as quais sofreu e aprendeu, mas que só você conhece e compreende.



As outras pessoas também. Cada uma delas tem uma vida com as suas próprias particularidades. Não se trata de justificar seus atos; o que não queremos é julgá-los. As pessoas têm seus motivos e, mesmo que você não esteja de acordo, é preciso respeitá-los. Talvez amanhã você se veja fazendo exatamente aquilo que tanto questionou.



“As pessoas tomam caminhos diferentes na busca pela felicidade e a sua realização.



O fato de não caminharem pelo seu mesmo caminho não significa que se tenham perdido”



– Dalai Lama –



Se você é uma pessoa que julga os outros, pense primeiro em como você se sente quando alguém julga você.



Ao longo das nossas vidas, tudo o que nos acontece muda a nossa forma de ver as coisas. O que há alguns anos víamos como certo, agora talvez já não seja.



O que acontece quando julgamos os outros?

Seja flexível e nunca julgue. Você pode dar a sua opinião, mas sem procurar que as pessoas olhem a vida do mesmo jeito que você. Principalmente porque a sua não é a única visão válida.



“Nunca podemos julgar a vida dos outros,

porque cada um sabe da sua própria dor e da sua própria renúncia.

Uma coisa é você achar que está no caminho certo;

outra é achar que o seu caminho é o único”



– Paulo Coelho –

amenteemaravilhosa.com.br


Publicado por Fatima dos Anjos em 16 novembro 2017

Viva o Presente

Quando passamos a vivenciar a beleza de cada momento, com alegria, gratidão e entusiasmo, a vida e o Universo inteiro passam a conspirar a nosso favor. Isso ocorre porque estamos imersos em um contexto vibratório fiel à Lei Universal de Ação e Reação. De acordo com esse princípio, atraímos somente algo que seja similar àquilo que estamos emitindo. Assim, ao nos sentirmos bem, emitimos uma frequência boa que reverbera nas esferas mais sutis da existência e traz de volta algo que seja condizente com isso.

Já falei muitas vezes a respeito da natureza responsiva do Universo, mas nunca é demais repetir quando o objetivo é clarear a mente de quem confia no que escrevo. Portanto, repito mais uma vez que a vida é como um espelho mágico que reflete de forma exata e proporcional, o que somos na essência. Aliás, o bem-estar que emitimos geralmente retorna com uma adição suplementar, de forma intensa, multiplicada.

Quando nos sentimos bem, emitimos essa sensação de bem-estar como nossa condição. E a Fonte Criadora, atenta aos nossos verdadeiros anseios, sempre diz: “Seu desejo é uma ordem!”

Apesar de geralmente dividirmos a vida em passado, presente e futuro, a Inteligência Infinita que nos gerou considera apenas o agora. No exato momento em que nos tornarmos capazes de passar uma borracha no passado, gravado em nosso subconsciente, tudo estará feito. O passado morrerá imediatamente.

O que já passou ainda se mantém lá apenas por conta das nossas lembranças.

A energia nefasta da perda, da raiva e do saudosismo melancólico alimentada por más lembranças nos faz reviver um sofrimento que já se foi há muito tempo. Dessa forma, o mal outrora vivenciado se repete e nos tornamos vítimas de algo que já passou. Em outras palavras: ressuscitamos um demônio que já estava morto e enterrado e, por conta disso, o tormento continua de forma interminável. Isso ocorre porque, remoendo o que já passou, reforçamos a carga emocional daquela experiência e a trazemos de volta, para nossa completa desolação.

Não existe outra forma de voltar ao passado que não seja mentalmente. Nada fará com que as coisas mudem com suas lamentações e arrependimento por causa dos erros de outrora. Então, vai uma dica fundamental: mantenha apenas o que foi bom pra você. O que não foi bom; deixe pra lá!

Viva o presente!

Você está aqui e agora e a sua vida é essa. De forma alguma conseguirá reescrever os capítulos anteriores da jornada, mas pode perfeitamente traçar um novo rumo para o seu futuro através das escolhas que fizer no dia de hoje.

Há um poder infinito colocado ao seu alcance. Algo capaz de remodelar o caráter, transformar a essência e, por conseguinte, mudar o seu futuro. Eis o segredo capaz de acionar essa força interior, parcialmente adormecida dentro de você: Busque dentro de si mesmo, a cada momento, algo que seja capaz de produzir energia boa. Sinta alegria, amor, boa vontade, entusiasmo e fé, em si mesmo e na exatidão da Justiça Divina. Você só precisa fazer isso para transmutar aspectos tenebrosos em plenitude.

A mudança interna positiva é a diretriz que te coloca frente a uma porta aberta a todas as melhores possibilidades que a vida pode lhe reservar. Essa alteração de conduta só poderá ser executada com base na mudança de suas atitudes, centralizadas no momento presente. Escolha uma nova postura, estruturada em conceitos elevados. A saber: tudo o que seja bom, belo e justo.

Ouse iniciar a reestruturação ainda hoje, se já não o fez. Lembre-se: ontem já passou e amanhã não chega nunca. O presente é tudo o que você tem. Faça com que esse momento seja verdadeiramente um belo “presente” do Criador de todas as coisas para você. Escolha ser maior e melhor agora e siga persistindo nesta escolha a cada instante seguinte. E o Universo, altamente responsivo dirá: “Seu desejo é uma ordem!”

Francisco Ferreira, O Aprendiz

A Casa do Aprendiz

As crianças e os contos de fantasia

“A fantasia e a imaginação são essenciais para aquisição de conhecimento.”

As crianças têm muito o que aprender. Pode se dizer que este é o propósito da infância: garantir às crianças um tempo protegido para que elas possam se concentrar em aprender como se comunicar, como o mundo ao seu redor funciona, que valores sua cultura considera importante e por aí vai. Dada a quantidade massiva de informação que as crianças precisam absorver, pareceria recomendado que eles passassem o máximo possível deste tempo engajadas em estudar seriamente as questões e problemas do mundo.

Ainda assim, qualquer um que já tenha passado tempo ao redor de crianças sabe que elas dificilmente têm a aparência de acadêmicos sérios e focados. Ao invés, as crianças passam muito do seu tempo cantando canções, correndo por aí, fazendo bagunça – isto é, brincando. Para além de participarem da grande alegria de descobrir como a estrutura do real funciona através de suas brincadeiras exploratórias, as crianças (como muitos adultos) também tendem a ser profundamente atraídas por jogos e histórias irreais. Elas fingem ter superpoderes ou habilidades mágicas e imaginam interações com seres impossíveis, como sereias e dragões.

Por muito tempo, tanto pais como pesquisadores supuseram que esses “voos de fantasia” eram, na melhor das hipóteses, inofensivos episódios de diversão – talvez necessários para a descontração de quando em quando, mas sem qualquer propósito real. Na pior das hipóteses, alguns defendiam que tais momentos eram distrações perigosas da importante tarefa de entender o mundo real, ou manifestações de uma confusão pouco saudável sobre a barreira entre realidade e ficção. Mas agora, novos trabalhos no campo da ciência do desenvolvimento mostram que não apenas as crianças são plenamente capazes de separar realidade e ficção, mas também que a atração por situações fantásticas pode na verdade ser bastante útil para o aprendizado.

Eu me aproximei dessa perspectiva após testar diversas maneiras de ensinar novas palavras ao vocabulário de crianças da educação infantil em programas do Head Start*, na esperança de combater o déficit de linguagem que existe entre crianças de pré-escola de contextos socio-econômicos altos e baixos. Para fazer meu estudo, minha equipe apresentou novas palavras de vocabulário ao longo de uma atividade de leitura compartilhada, e depois reforçou os significados dessas palavras em sessões de brincadeiras tuteladas por adultos.

A intervenção foi bem-sucedida, e o entendimento das crianças das novas palavras melhorou – o que foi comprovado por testes feitos antes e depois da experiência. Mas o que foi mais interessante para nós foi a diferença entre os dois grupos de crianças deste estudo: aqueles cujas histórias descreviam temas realistas, como cozinhar, e aqueles cujas histórias descreviam temas fantásticos, como dragões. No começo do estudo, publicado em 2015 na revista Cognitive Development, as crianças sabiam menos sobre as palavras dos livros fantásticos, talvez porque tais palavras eram mais desafiadoras. Mas vimos que o conhecimento lexical das crianças aumentou ao longo da intervenção e, nos pós-testes, elas sabiam tanto destas palavras quanto daquelas contidas nas histórias realísticas. Isso é, as crianças ganharam mais conhecimento das histórias fantásticas do que das realísticas.

Essa descoberta é surpreendente uma vez que confronta tudo que sabemos sobre aprendizado e transferência. Um grande montante da literatura na psicologia mostrou que quanto mais próximo o contexto de aprendizagem está do contexto onde a informação será usada, melhor. Isso sugere fortemente que livros realistas deveriam ajudar as crianças a aprender os significados das palavras melhor e reportá-los mais precisamente nos pós-testes. Mas nosso estudo mostrou exatamente o oposto: livros de fantasia, aqueles que eram menos próximos da realidade, permitiram que as crianças aprendessem melhor.

Em trabalhos mais recentes, nosso laboratório vem replicando este efeito. Um estudo em andamento está descobrindo que as crianças aprendem novos fatos sobre animais melhor a partir de histórias fantásticas do que das realísticas. Outros pesquisadores, usando uma variedade de métodos e medidas, mostraram que representações de eventos aparentemente impossíveis podem ajudar as crianças a aprenderem. Por exemplo, crianças são mais preparadas para aceitar novas informações quando elas são surpreendidas – portanto, quando elas têm quebradas suas suposições sobre o mundo físico.

O que pode estar acontecendo? Talvez as crianças são mais engajadas e atentas quando elas veem acontecimentos que desafiam seu entendimento de como o real funciona. Afinal, os acontecimentos nessas histórias fantásticas não são coisas que as crianças veem todos os dias. Então talvez elas prestem mais atenção, o que leva a mais aprendizado.

Uma possibilidade diferente – e mais rica – é que há algo sobre contextos fantásticos que é particularmente útil ao aprendizado. De tal perspectiva, a ficção fantástica pode fazer algo mais do que capturar o interesse das crianças melhor que a ficção realista. Em vez disso, a imersão em cenários onde elas precisam pensar sobre situações impossíveis podem engajar processamentos mais profundos, precisamente porque elas não podem tratar tais cenários como fariam com qualquer outra situação que encontram na realidade.

Elas precisam considerar cada evento com um olhar novo, perguntando se ele cabe no mundo da história e se ele se encaixa nas leis da realidade. Essa necessidade constante de avaliar a história pode gerar circunstâncias bastante próprias para o aprendizado.

Trabalhos futuros irão investigar todas essas possibilidades. Mas, por hora, é importante notar que nossas descobertas podem ter profundas implicações na educação. Mesmo que seja “somente” o fato de que crianças aprendem melhor em contextos fantásticos, porque tais contextos as ajudam a prestar mais atenção, nós podemos usar este fato para fazer melhores materiais didáticos que irão beneficiar todas as crianças.
.
Deena Skolnick Weisberg
.
Fonte: www.portal.aprendiz.uol.com.br

terça-feira, 14 de novembro de 2017

Conexão com a criança que está por vir

Biblioteca Virtual de Antroposofia

“Nos tempos antigos, as mães eram profundamente conectadas com a
criança que estava por vir. De acordo com Rudolf Steiner, o criador da antroposofia, pode-se dizer que da mesma maneira que o pai e a mãe se preparam, aguardam e sonham com a chegada dessa criança, aquele
espírito também se preparou ao escolher seus pais, os que tornarão
possível sua vinda e estadia aqui na Terra.”

Assim que a mulher descobre que terá um filho, um sentimento solene desperta: o de que a ela foi dada uma tarefa muito importante, de que nela se opera uma vontade divina. E assim ela se abre em devoção a esse ser que está por vir, renuncia a seus desejos muitas vezes, abre mão de confortos e vaidades. Mas, antes mesmo desse momento, antes mesmo da concepção, a criança já existia como indivíduo no mundo espiritual. Não era visível fisicamente, mas já estava lá. De acordo com Rudolf Steiner, o criador da antroposofia, pode-se dizer que da mesma maneira que o pai e a mãe se preparam, aguardam e sonham com a chegada dessa criança, aquele espírito também se preparou ao escolher seus pais, os que tornarão possível sua vinda e estadia aqui na Terra.

Nos tempos antigos, as mães eram profundamente conectadas com a criança que estava por vir. Não é à toa que nos deparamos com contos de fada em que a chegada de uma criança é anunciada muito antes da gravidez por todo tipo de seres. Em A Bela Adormecida, por exemplo, um sapo anuncia à rainha que ela dará a luz a uma linda menina. E, claro, há a Bíblia, em que Maria recebeu esse anúncio pela voz de um anjo.

Esse momento mágico, quando a mulher percebe a aproximação de um ser antes mesmo que sua primeira célula exista, foi retratado por artistas como Rafael e Leonardo da Vinci. Naqueles tempos, esse sentimento tinha um enorme significado. Mesmo nos dias de hoje, em que somos mais terrenos, há mulheres que encontram seus filhos em sonhos bem antes do nascimento. E, ao finalmente veram a criança, percebem que se parece muito com o que sonharam. Atualmente, o último lampejo do que acontecia a séculos atrás pode ser reconhecido, talvez, no repentino desejo de uma mulher ter um filho. Mas essa vontade surge de uma maneira tão delicada que pode facilmente ficar encoberta por medos, vaidades e inseguranças.

Cria-se uma enorme diferença quando colocamos a vontade da criança em primeiro plano, quando consideramos que ela escolheu seus pais, sua família e até mesmo o momento do seu nascimento como a melhor hora para que realize tudo o que precisa aqui cumprir. Se considerarmos apenas uma vontade de pais e médicos, muitas vezes baseada em questões financeiras, conveniências, preconceitos ou modismos, teremos consequências ao longo da vida desse novo ser. A criança que anuncia sua chegada, escolhendo seus pais em um determinado momento, não compreende, naturalmente, essas razões. Apenas sentirá a resistência ou oposição à sua vinda. E esse sentimento vai afetar seu desenvolvimento mais tarde, não importa o que se passe de fato. Cabe a nós, portanto, ampliarmos nossa consciência e estender um tapete vermelho para esse ser desde os tempos em que ele é apenas um sonho, apenas um lampejo. Estender um tapete vermelho de boas-vindas aos que escolheram povoar esse planeta através de nós.
.
Dr. Antonio Carlos de Souza Aranha

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

PREPARANDO MEU FILHO PARA A LIBERDADE .

"Não é livre quem vai contra a sua própria natureza."
.
.
“SÓ CRIA QUEM É LIVRE.”

Você matriculou seu filho em uma escola que o prepara para o mercado de trabalho? Ou uma que vai do maternal ao vestibular. Não importa. Se o seu filho está matriculado em uma escola que o prepara para o mercado de trabalho, você está preparando o seu filho para o passado e não para o futuro, para o mundo que vai existir daqui a 20 anos quando ele sair da escola. Você está preparando seu filho para se encaixar no mundo e não para criar um mundo para ele.

“SÓ UMA PESSOA LIVRE DECIDE OS HÁBITOS QUE TEM.”

Você leva seu filho no shopping para passear? Shopping não é para passear. Shopping é para comprar ou então se distrair para comprar ainda mais. O objetivo do shopping é vender mais e por isso é tão importante para seus proprietários agregar serviços como praças de alimentação e espaço para as crianças com brinquedos eletrônicos e pequenos parques dentro dos seus estabelecimentos. Quanto mais próximas dos shoppings as crianças estiverem, melhor retorno financeiro o shopping terá no longo prazo. O impacto deste mau hábito pode levar seu filho a sempre querer consumir para se manter feliz.

“O VERDADEIRO PODER ESTÁ NO CORAÇÃO DE QUEM NÃO PRECISA DE COISAS PARA TER PODER.”

Você permite que ele tenha mais coisas que o necessário? Presentes são as distrações do presente. Com milhares de roupas, tênis e brinquedos seu filho começa a perceber que fica feliz sempre que recebe alguma coisa nova e molda a sua cultura para isso. Desta forma, quando ele ficar triste novamente e não enxergar nada de novo à sua volta, acreditará que está com esse mau humor porque não tem nada novo para se distrair. Desde cedo eduque seu filho a compreender que ele não depende de coisas para ser mais feliz. No dia que seu filho fracassar e não tiver coisa alguma, se sentirá ainda mais infeliz por não tê-las e levará ainda mais tempo para retomar seu rumo.

“SÓ UM HOMEM LIVRE CONSEGUE MOLDAR O MUNDO COM AS PRÓPRIAS MÃOS.”

Você acredita que ajuda seu filho quando executa tarefas simples pra ele? Dar comida na boca, amarrar o sapato, abotoar a camisa, dar banho, entre outras tarefas simples são coisas que os pais estão fazendo por mais tempo pelos seus filhos. Quando eles crescerem e estiverem adultos o mundo cobrará deles independência e disposição para realizar tarefas fora de suas zonas de conforto se eles quiserem se libertar. Tendo sido criado em uma redoma seu filho terá que lutar ainda mais para conquistar as coisas que deseja.

“SÓ ALGUÉM LIVRE CONSEGUE ENXERGAR O SEU PRÓPRIO VALOR E O VALOR DAS COISAS QUE O CERCAM.”

Você ensina seu filho a valorizar as coisas pelas marcas que elas carregam? Não basta comprar um caderno, precisa ser um caderno de uma determinada marca ou com um determinado motivo daquele desenho animado ou daquele filme que ele tanto adora. Não seja tolo. Você está agindo justamente da forma que o dono da marca daquele filme quer que você aja. Que tal explicar para o seu filho que o caderno sem marca nenhuma tem a mesma utilidade que o caderno com marca e que ele pode ser até melhor em qualidade que o outro. Ensine-o a valorizar as coisas pelo real valor delas e não pela marca que a coisa carrega. O significado de sucesso não é medido pela capacidade de adquirir acessórios das marcas mais caras como se fossem badges da vida real.

“SÓ ALGUÉM LIVRE É CAPAZ DE RECEBER COM A MESMA GRATIDÃO QUE DOA.”

Você não ensina seu filho a receber doações? Conheço pais que não admitem que seus filhos recebam uma peça de roupa ou um tênis de uma outra criança só porque aquilo que era recebido já tinha sido usado. Não existe coisa mais digna e natural do que aprender a receber. Isso, inclusive é até mais importante que aprender a dar porque para receber você precisa ser humilde e nobre. Ensine-o a receber doações e ele se tornará livre por acreditar que o mundo dá as coisas para ele ao invés de visualizar um mundo cheio de perigos e apuros onde todos só pensam em tirar-lhe as coisas.

“UM HOMEM LIVRE CONSOME APENAS AQUILO QUE FOR O BASTANTE E SAUDÁVEL.”

Você faz da alimentação por frutas e legumes algo esporádico? O natural para o ser humano é comer frutas, legumes e verduras, enquanto refrigerantes, doces e outras guloseimas não é natural. Estes últimos “alimentos” é que devem ser apresentados ao seu filho como um evento pontual. Não há problema comer doces, biscoitos e bolos uma vez ou outra se o hábito da criança for comer coisas saudáveis, mas fazer da alimentação saudável algo esporádico é transformar o próprio filho em colecionador de problemas de saúde no futuro.

“SÓ ALGUÉM LIVRE DECIDE O QUE DESEJA EXPERIMENTAR.”

Você o deixa ver televisão? Assista televisão com o seu filho durante uma hora e notará nas entrelinhas uma série de comerciais educando-o a permanecer escravo do sistema. Enquanto mulheres feministas brigam pelos seus direitos nas ruas, um comercial de um brinquedo infantil, treina meninas para o consumo vendendo uma caixa registradora que aceita cartão de crédito de brinquedo onde sua filha pode fazer compras à vontade na lojinha da amiga. Desligue a televisão e veja o seu filho libertar a imaginação com amigos imaginários, pistas de corrida feitas com caixas de papelão ou simplesmente cantando a esmo dentro de casa.

“SÓ É REALMENTE LIVRE QUEM SE CONHECE PROFUNDAMENTE.”

Você não educa seu filho com uma medicina preventiva? Medicina preventiva é alimentação somada ao conhecimento do próprio corpo. Além de receberem alimentos ruins para o corpo, os pais não incentivam seus filhos a conhecerem suas dores e seus próprios males, curando toda e qualquer perturbação com algum medicamento invasivo que inibe o sintoma, mas não acaba com o problema. O autoconhecimento começa pelo conhecimento do nosso próprio corpo.

“SER LIVRE JÁ É O BASTANTE PARA SI MESMO.”

Você incentiva que seu filho tenha ídolos? Ter ídolos nos escraviza tanto quanto ter algozes. Tendo ídolos, seu filho começa a competir com outras crianças para medir se aquilo que idolatra é melhor ou pior que aquilo que os outros idolatram, seja uma personalidade, um atleta, um time de futebol, um músico, etc. Ele coloca todas as suas expectativas naquela pessoa, saindo de si para querer se tornar o outro o que normalmente termina em uma grande frustração quando ele verifica que o outro possuía as mesmas idiossincrasias que ele.

“LIVRE É QUEM SE LIBERTA DAS SUAS PRÓPRIAS CRENÇAS.”

Você ensina as suas crenças para ele? Religião, trabalho, riqueza, modo de vida, enfim, você deposita no seu filho toda a sorte de crenças e medos cultivadas em você tirando a capacidade dele mesmo refletir sobre o que serve e o que não serve para ele. Você não ensina filosofia para ele e não o faz questionar e observar que talvez você e ele estejam errados a respeito das suas certezas. Que existem outras religiões diferentes da sua no mundo, assim como outros tipos de trabalho, outras formas de gerar riqueza e também outras maneiras de viver. Esclareça para o seu filho que a forma como você vive e a maneira como você pensa é a sua maneira, mas não a mais correta. Não ate-o a amarras que o deixem presos em qualquer área da vida. Leve-o a sua religião, ensine-o sobre ela, mostre a forma como você trabalha e a sua maneira de gerar riqueza. Traduza tudo isso e o seu modo de vida como apenas mais um modo de se viver, mas fortaleça-o para que ele faça a sua própria busca, deixando claro que irá lhe abraçar no caminho de volta pra casa.

VOCÊ NÃO COLOCA EM PRÁTICA O QUE ENSINA PARA ELE?

E o principal e mais violento sinal de que você está criando o seu filho para não ser livre acontece quando você demonstra para ele que não se esforça para se libertar colocando em prática aquilo que ensina para ele.

Você continua indo ao shopping para passear.
Você continua vendo televisão.
Você continua torcendo para o seu time do coração com fanatismo.
Você cultua marcas, nomes e famosos.
Você se coloca como vítima da vida.

Você pode ter errado em tudo, mas não pode se dar o direito de errar em não assumir os próprios erros para acertar. Temos que ensinar esta nobreza para os nossos filhos se quisermos que eles se libertem desta pirâmide social na qual a maior parte da sociedade está inserida para viver a sua própria vida da maneira que ele acredita ser a ideal.

Entendo que alguns sinais colocados aqui afetam estruturalmente as suas crenças, mas te convido a fazer um exame em cada uma delas para verificar porque elas realmente existem em você e como elas podem estar moldando a vida que você tem hoje. Se você está preso, liberte-se e leve seus filhos junto, pois se todos os pais fizerem isso, libertaremos o mundo.
.
Marcos Rezende
.
Fonte: www.insistimento.com.br

Biblioteca Virtual de Antroposofia

terça-feira, 31 de outubro de 2017

A doença incurável e a criança


"Algumas vezes, a doença que não está no carma da criança, mas está no carma dos pais. E o que essas doenças podem trazer, justamente se processando dessa maneira, é o impulso para uma profunda transformação; são doenças cujo sentido está no futuro e não no passado."
.
.
A história conta que a famosa violoncelista Jacqueline Mary du Pré falou, quando tinha 6 anos de idade, para a sua irmã Hilary: “não o contes para a mãe, mas, quando eu for grande não poderei mais andar nem me movimentar”. Aos 28 anos de idade ela adoeceu de uma Esclerose Multipla, interrompendo então a sua atividade musical quando se encontrava no esplendor da sua capacidade interpretativa, e veio a falecer com 42 anos de idade.

É notável este fato que não raramente é descrito em crianças, pelo qual elas olham para uma doença possivelmente incurável com uma equanimidade e uma tranquilidade que parece incompreensível perante o espaço de agitação e tragédia que se cria entre os familiares e amigos, numa postura diametralmente oposta. As doenças relacionadas com as neoplasias malignas (câncer, linfomas, leucemias) tem uma notável singularidade perante outras doenças crônicas graves: com frequência, quando acontecem nos adultos, elas geram a pergunta pelo sentido da doença. Não é raro ouvir de um paciente com câncer a expressão: “Doutor, eu sei porque eu adoeci desta doença”, e indagados pela razão eles podem relatar as vezes situações de stress perante as quais não conseguiram se colocar de uma maneira mais adequada, gerando assim um sofrimento permanente no espaço do qual pode aparecer a doença após alguns anos.

A criança que com seis, dez, doze anos, apresenta uma neoplasia maligna, as vezes de evolução mais agressiva e rápida que num adulto, eventualmente com uma resposta também mais difícil ao tratamento, nos formula uma pergunta muito mais complexa, pois a pergunta pelo sentido da doença com certeza não será respondida no panorama de uma vida tão curta, quase sem biografia, no sentido que comumente damos ao termo biografia. Mas, se insistirmos e procurarmos por um sentido, a observação e a reflexão pode nos levar a perceber e entender duas situações paralelas.

Numa delas nós temos uma vontade encarnatória intensa que fica truncada muito cedo. O fenômeno da encarnação do ser humano representa inicialmente um colossal esforço por atingir a postura ereta, a fala e a capacidade do pensar: Aos três anos de idade a criança configura as bases físicas destas características, próprias da condição humana, ela o faz porque processou a nível físico forças volitivas, que são forças absolutamente espirituais. Elas são as que criam a base física da ulterior vida terrestre. O que virá a ser representará uma metamorfose dessas forças volitivas da encarnação, acontecendo lentamente, através do aprendizado nos primeiros setênios, das andanças nos setênios seguintes e finalmente nas realizações na segunda metade da vida. Uma morte prematura deixa então forças volitivas poderosas, encarnatórias, à disposição da individualidade dessa criança, as quais, “somadas”
agora àquelas próprias que se processarão para uma nova encarnação, são capazes de originar uma nova encarnação extraordinariamente rica em toda classe de talentos e realizações. Não raramente, segundo Rudolf Steiner, pessoas geniais tiveram uma morte muito prematura na encarnação anterior.

A própria individualidade “se programa”, entre a morte e um novo nascimento, para algo assim, para essa morte prematura na encarnação seguinte, para assim ter à sua disposição forças volitivas mais intensas e realizar algo que tem a ver com um grande destino, agora numa encarnação ulterior.

A outra situação, paralela a esta, se processa no ambiente, entre os familiares e amigos que acompanharam este sofrimento. A tranquilidade, a serenidade que mostra a criança com uma doença como esta, quer, por si, inspirar uma transformação na alma das pessoas e familiares que a rodeiam. O pai ou a mãe, nos momentos do seu sofrimento, terão alguns momentos de assombro e de admiração perante essa serenidade, mais ainda, perante essa delicada e sagrada luminosidade, desaparecendo essa percepção no momento seguinte no meio de sentimentos de desespero, de raiva, e outras emoções semelhantes, todas elas absolutamente legitimas nessa situação. Mas esses momentos, a percepção dessa sagrada delicadeza, também no sofrimento da própria criança, ainda que as vezes apenas consciente, deixa uma marca na alma dos adultos, marca que com o tempo pode se tornar a fonte de uma grande transformação pela qual a pessoa pode se colocar de uma forma nova na vida, de uma maneira mais generosa, mais livre. Sim: uma doença assim, na criança, pode ter e tem um profundo significado para os adultos, para os pais, irmãos e amigos. Me lembro de meus anos de médico recém formado, quando acompanhei uma criança com uma grave doença: meu chefe, um dia, olhando de longe para os familiares que nesse momento se encontravam no jardim, falou mais ou menos assim: “essa é uma doença que não está no carma da criança, mas está no carma dos pais. E o que essas doenças podem trazer, justamente se processando dessa maneira, é o impulso para uma profunda transformação; são doenças cujo sentido está no futuro e não no passado”.

Evidentemente, ante essa afirmação eu fiquei quieto, pois estava envolvido e comovido pelo sofrimento dos pais. Mas os anos me ensinaram que essa segunda situação sempre se processará positivamente na vida das pessoas, em maior ou menor grau, sem apagar, evidentemente, a saudade pelo ente querido, mas, não raramente invocando um crescimento a partir dela.
.
Bernado kaliks
.
Fonte: ensinowaldorf.blogspot.com.br

domingo, 29 de outubro de 2017

Ascender a nova Terra

(Natalia Alba)



Amados Emissários da Luz



Nesta etapa final de nossa bifurcação da Velha Terra, nos encontramos atravessando o espaço entre A Velha Terra e a Nova Terra Vibratória, em que alguns de nós escolhemos habitar conscientemente. Neste momento, algumas almas em ascensão já estão ancoradas em uma realidade pentadimensional, enquanto muitos podem se encontrar ainda navegando entre o portal da 4D que nos conduz para a Nova Linha do Tempo, porque, na verdade, tudo é uma questão de como escolhemos vibrar e irradiar nossa essência mais do que um número ou dimensão física.



No momento, estamos trabalhando na síntese de todos os nossos aspectos, o que não é processo de um único dia ou algo que se faça simplesmente lendo ou indo a um curador após outro, mas por despertar conscientemente nossa centelha cósmica e praticar o que pregamos. Uma mensagem de fusão interior que este novo mês, com as energias de Escorpião e com seu número 12 – reduzido: 3 – nos faz recordar. Porque é exatamente na unificação de nossas polaridades interiores que o caminho ascensional começa. É por curar todo o desamor, bloqueios e medo, que foram inconscientemente incorporados ou impostos por manipulação externa, que começamos a desvendar as muitas camadas falsas da ilusão – em que certa vez acreditamos – e incorporar um nível superior de conscientização.



Conforme continuamos o nosso processo de fusão interior – e cura – dos velhos programas, nossa capacidade de cocriar melhora. À medida que continuamos a fundir as polaridades opostas internamente, nossa capacidade de expandir e dar à luz a algo novo que só pode nascer da fusão dos opostos, mas, novamente, complementares. Esse é o lugar em que estamos dando à luz a um novo eu e a uma nova linha do tempo, enquanto continuamos também dominando o modo de ficar ancorados completamente em nossa escolha, tentando possibilidades diferentes para que possamos experimentar.



Sob uma perspectiva coletiva, o Planeta Terra parece estar enfrentando o seu período mais caótico por um longo tempo. Por favor, sejam observadores e olhem além da falsa propaganda, a desinformação que se dá para nos manipular pelas forças ocultas, a fim de discernir o que está verdadeiramente ocorrendo por trás das cenas físicas. É verdade que o nosso Planeta está em uma transformação profunda – da natureza – na forma de desastres naturais a mudança climática, assim como muitas outras questões, tais como a política. Todavia, é também verdade que a polaridade da luz está fortemente reforçada pelas muitas novas almas que estão despertando, bem como o trabalho dos vários Portadores da Luz, Almas Sementes Estelares, os que elevam a consciência e os Semeadores da Nova Terra, que estão sendo os pioneiros desta transição.



É tudo uma questão de para onde vocês escolhem concentrar a sua atenção. Porque, para experimentar a profunda bifurcação por que estamos passando, primeiramente precisa surgir a formação de polos extremos. Conforme continuamos a nossa transição para a Nova Terra, se olharmos para trás, veremos mais “caos”, mas isso não é tudo o que está acontecendo, isso é apenas um aspecto que, para nós, almas em ascensão, está mais claro agora, porque para onde estamos indo não existe uma sensação tão profunda de polarização.



Portanto, é muito importante permanecer sempre na sabedoria e na essência amorosa de nosso Eu Divino, porque, toda vez que olharmos para os lados, ou para o passado, estamos trazendo essa mesma frequência caótica para a nossa vibração presente, e daí para a linha do tempo. Isso não é o mesmo que negar a evidência de nossa natureza humana, mas acolher ambos sem julgamento e escolhendo o estado de ser que estiver mais alinhado com quem somos agora. Não precisamos ignorar, rotular ou tentar lutar contra qualquer coisa, porque sabemos que simplesmente precisamos nos expandir e deixar para trás o que vivenciamos durante eras.



Temos em nossas mãos o momento que alguns de nós vimos aguardando, um momento, uma dádiva, em que escolher onde habitar, na velha ou na Nova Terra, é essencial, porque o corpo duplo da Terra já está ocupando uma nova zona de tempo/espaço em uma oitava superior. A pergunta é: “Vocês estão dispostos a fazer o que for necessário para deixar que tudo se vá e começar uma jornada desconhecida, porém extasiante de cocriação e integração conscientes? “ Essa pergunta não se responde por um sim ou não, seus sentimentos, pensamentos e ações deixarão vocês saber onde estão em frequência.



Se vocês ainda leem, concordam, mas, então, não agem de acordo com o que realmente desejam, as próprias ações estão mostrando a sua falta de integridade, o que está perfeitamente bem se vocês estiverem conscientes. Se ainda pensarem que agir é mais importante do que Ser, estão vocês estão novamente polarizando e permitindo que a sua essência masculina esteja constantemente trazendo algo para a forma sem a o acolhimento adequado, que é necessário, do feminino interno. Se vocês sabem que é necessário curar/desfazer e ainda continuam a separar, julgar e manipular, então vocês não estão prontos para liberar um aspecto antigo da sua personalidade egoica tridimensional.



É muito importante que compreendamos que, para poder evoluir, primeiramente algo deve se “quebrar” em nosso interior para desencadear a transformação/reorganização exigida em nossos mundos internos, crenças e tudo o que costumava ser familiar para nós. Conforme muitos de nós sabemos, por experiência pessoal, em primeiro lugar, começa-se a ser contra tudo e todos que sentem falta de conscientização e compaixão.



Ainda que essas primeiras etapas possam parecer caóticas, para os que estão acessando esta jornada, vocês vão perceber, no próprio tempo, que tentar lutar e mudar o que vocês não podem é apenas um desperdício de energia e intenção. Conforme se evolui, como aconteceu a muitos de nós, se compreende que a única coisa que podemos realmente mudar somos nós mesmos, e é aí que paramos de lutar com o mundo externo e começamos a acessar o nosso mundo interior, sendo capazes de finalmente começar essa mudança com o Todo.



No momento, o coletivo está lutando com aquilo que acha que pode mudar, ou as condições externas. Deixem que sejam. É também uma parte importante ajudar outros a despertar. A coisa importante não é o que eles fazem ou deixem de fazer, mas o que nós fazemos com a nossa frequência. Se vocês optarem por concentrar-se apenas nas forças sombrias, então, vocês começarão a vibrar nessa faixa inferior, manifestando-a em sua realidade e daí vendo somente o caos.



É por observação neutra, principalmente no fim do dia, reservarmos algum tempo para nos tornar a testemunha eterna, que podemos discernir se o nosso eu egoico ainda nos domina, ou se nos tornamos mestres e, portanto, seres soberanos da própria experiência de vida. A todo momento, temos a oportunidade de escolher. Nós realmente não temos muitas escolhas, porque todas as escolhas são uma questão de decidir se habitamos no amor ou no medo, e a todo simples segundo, nos é oferecida a dádiva de nos conscientizarmos quanto ao que estamos dando nossa atenção.



A integração da Alma & a conexão Monádica



O processo de integração da alma, embora seja um processo infinito de lembrança constante, nos conduz a uma conexão mais elevada com a nossa Mônada, visto que esse é o próximo passo quando começamos a integrar os aspectos superiores de nossa alma, a partir de todo o espaço.



A alimentação de nossa conexão com nossa Mônada é fundamental para as almas ascendentes, que estão a serviço da evolução da humanidade, porque não caminhamos sozinhos neste domínio terreno, e quanto mais cultivarmos essa conexão, mais vamos perceber que nunca estivemos sozinhos. Pelo contrário, atuamos como Um em todos os momentos com os nossos aspectos superiores, que habitam na 12a dimensão, quer nos concentremos mais na separação e no aspecto individualizado da Fonte que somos, quer fôssemos mais conscientes dessa Conexão Superior.



É essencial que comecemos a incorporar a lembrança de quem somos em essência, porque somente por fazê-lo é que começaremos a agir com mais integridade e consciência, nos lembrando de mais aspectos de nossa missão anímica, bem como de nosso verdadeiro propósito nesta encarnação humana. Muitas pessoas diariamente querem saber qual é o propósito de sua alma. Quando se está nessa etapa, perguntando ao externo e tentando não parar de procurar por uma pista, não servirá à sua busca interior.



O que ajudou em minha jornada até o momento, é o fato de estar consciente de que aquilo que estamos para fazer aqui é seguir os passos que a minha alma me orientou, a fim de fazer descer mais sabedoria acerca do propósito da minha alma. Os passos iniciais são muitas vezes relativos à limpeza, cura e início do trabalho da integração da alma. Porque se não começarmos a nos purificar, os véus que cobrem a Verdade continuarão a nos impedir de ver o que precisamos.



Para poder incorporar essa conexão monádica e, portanto, mais sabedoria, primeiramente precisamos trabalhar na dissolução de todas as antigas crenças, assim como purificar os nossos corpos emocional e mental, que estão encobrindo essa conexão com a nossa Mônada. Após recuperar o equilíbrio e a purificação adequados, poderemos compreender que somos apenas uma extensão de outros aspectos nossos, que permanecem em outros planos, mas que estão respirando, sentindo e agindo como Um conosco.



É quando esse momento de iluminação surge, que deixamos todos os desejos egoicos de lado e começamos a adotar um caminho superior de serviço altruísta, porque agora nos lembramos de que não estamos aqui somente para realizar nossos meros desejos egoicos e experimentar um plano humano, mas para poder trazer essa essência mais elevada, assim como sua sabedoria para o Todo, em nossa maneira única de servir.



Não se trata mais de nós, mas do Todo. Não se trata mais do que pensamos que desejamos para nós mesmos e com quem, mas de estar plenamente presentes e cônscios do que o nosso Eu Unificado nos orienta a fazer a cada momento. Neste momento, é fundamental que nesta etapa tumultuada, sejamos capazes de permanecer sempre concentrados nessa conexão mais profunda com a nossa Mônada, porque ela não só faz parte de quem somos, como é o nosso principal guia e suporte, enquanto caminhamos como seres individualizados.



Eventos cósmicos que desencadeiam a mudança & a expansão



Em um nível planetário, a expansão que todos estamos vivenciando, internamente, de nossa maneira exclusiva, é também reprimida por Júpiter, principalmente por estarmos agora nas profundezas de Escorpião. Outro aspecto que ocorre durante o início deste mês é Júpiter formando um quintil com Plutão, em 3 de novembro. Essa frequência trará um impacto profundo no coletivo, ajudando a continuar o despertar e aprofundando internamente o próprio caminho evolutivo.



Isso será de grande ajuda, também, para que as almas ascendentes avancem em sua missão de alma e façam descer novos aspectos dela. Vai nos ajudar a despertar os dons adormecidos da alma, ir além de nossos limites humanos e ser, por trás do cenário físico, todo o potencial latente que permanece intocado nas profundezas de nosso ser.



No dia anterior, teremos também um evento cósmico muito importante, visto que Saturno fará uma quadratura com Quíron, o curador cósmico. Vocês já acordaram no meio da noite ansiosos, sem saber o por quê? Vocês ainda tendem a repetir os mesmos antigos cenários, ainda que tentem manifestar um resultado diferente? Vocês já notaram que a dor não curada batendo em seu coração, mesmo que vocês tentem encobri-la, com vícios ou qualquer véu, lhes trarão a ilusão de que há feridas não sanadas?



Se uma parte sua ainda está em sofrimento, seja porque esteja vivendo no passado, seja na perda, vocês ainda não terminaram a cura necessária com o seu corpo emocional e as feridas inconscientes. Com esse alinhamento, a sabedoria e a conscientização mais elevada, originados de Netuno em movimento direto, novamente, em 22 de novembro, pois como vocês sabem as energias não duram apenas um dia, teremos a dádiva cósmica de trazer o inconsciente à luz e começar a trabalhar todos os aspectos que permanecem na escuridão, sofrendo devido à separação que lhes trouxemos.



É o momento de assumir total responsabilidade por todo pensamento, ação tomada e perceber que nunca houve algo que fizemos de errado, em relação a nós mesmos ou aos outros. São simplesmente atos cometidos por se estar em um estado de consciência inferior ou medo. Agora vocês incorporaram aspectos mais elevados de quem verdadeiramente são. Agora vocês estão se livrando das ilusões daquilo que vocês nunca foram. Agora é o momento de se perdoar por todos os atos inconscientes, que foram feitos quando vocês eram pessoas totalmente diferentes. Vocês vieram para amar, desfrutar e abrir seus corações para as coisas que o seu eu egoico vem temendo há muito tempo.



Haverá uma abertura de portal entre a Lua Cheia de Touro, em 4 de novembro, e a Lua Nova de Escorpião, em 18 de novembro. A Lua Cheia em Touro servirá para ancorar o equilíbrio entre nossos reinos terrenos e etéreos. Isso porque Touro é regido por Vênus, e Vênus estará em Libra nesse momento da Lua Cheia, portanto, essa é outra confirmação para trazermos a síntese interior e, portanto, para as nossas vidas.



Por outro lado, a Lua de Escorpião será de grande ajuda para conectar nosso Eu Divino e começar a fazer descer e ancorar essa sabedoria em nosso plano tangível, porque isso é o que realmente nos serve e nos ajuda a ascender. Não é por habitar no etéreo que evoluímos, mas por trazer toda essa transformação, purificação e sabedoria superior para nossos corpos e para a realidade densa.



Estabilizadores, Âncoras da Nova Terra, os que elevam a consciência & Trabalhadores da Grade.



Esta é uma etapa muito importante para aqueles que trabalham para trazer a estabilização, bem como os que trabalham com as Grades da Terra e as Âncoras da Nova Terra – ao manter a frequência apropriada, agindo com pontes – para a Nova Terra. Visto que todos nós estamos enfrentando vários desequilíbrios e mudanças em nosso sistema físico e devemos tentar permanecer por tanto tempo quanto possível em harmonia, porque se entrarmos em colapso não seremos de ajuda.



Muitos dentre vocês vão ser chamados para servir de uma forma diferente ou mais ampla. Foi-me dito que muitos agora são orientados a viajar e ancorar nos lugares em que sua essência estará fazendo um serviço mais elevado. Outros podem mudar de localidade e começar uma nova etapa aí, pois mesmo que o nosso eu inferior tenda a ficar apegado, isso não diz respeito a nossa pessoa ou ao que gostamos ou não, mas sim, à Vontade Superior.



Os que elevam a consciência, como eu os chamo, são aqueles com o papel anímico de permanecer, sempre, em sua frequência mais elevada possível, vibrando no âmbito do amor e da compaixão para poder elevar a frequência em nosso Planeta. Eles são os que trabalham a partir de dentro, e onde quer que estejam, são sentidos como guerreiros pacíficos, que trazem amor e alegria a tudo o que tocam. São essenciais para manter o Planeta em equilíbrio, porque, sem o seu trabalho, o Planeta poderia não conseguir sustentar a essência apropriada que é necessária para esta transição planetária.



Para os estabilizadores, como vocês já sabem, há muita coisa, como de costume, acontecendo quando estabilizamos, quer no astral, quando acordados, quer fazendo-o plenamente conscientes, porque como muito de vocês sentiram, os ataques das forças obscuras estão se tornando mais recorrentes à medida que estão realizando a sua missão de tentar manter o planeta adormecido, como costumava ser durante eras.



Estes são alguns dos sintomas que se vocês agirem plenamente conscientes, vão enfrentar, enquanto estabilizam:



Enorme pressão em seu chacra coronário, principalmente para aqueles que fazem uma mudança pessoal interna. Porque é transformando-se e ajustando-se que se pode incorporar a Nova Luz que desce de nossa Presença EU SOU.

Uma profunda sensação de peso nas pernas;

Vertigem, principalmente comum após navegar entre diferentes linhas do tempo, porque estamos agora muito mais em contato com outros aspectos de quem somos, também em suas muitas realidades em que eles existem;

Sonolência;

Dores de cabeça, como um convite, entre muitas outras causas, para que vocês trabalhem em seu corpo mental e os purifiquem.

Alimentem-se com aquilo que servir para integrar melhor o seu corpo com essa nova luz. Vocês se conhecem e somos únicos, assim, o que serve para o meu corpo pode não ser o que vai ajudar o seu. Beber muita água pura é essencial, porque a água nos ajuda a conduzir a luz – Sabedoria Divina – que conscientemente integramos ao mesmo tempo em que purifica todos os canais. Acima de tudo, permaneçam sempre no abraço amoroso do seu Eu Divino e sua infinita compaixão pelo Todo, em vez de se concentrar no drama e no caos que outras forças sombrias criam.



É realmente uma passagem muito intensa, e é por isso que é essencial confiar e se render à mudança. Uma das experiências que começam a surgir, quando acessamos um novo caminho de cocriação consciente, é que, à medida que continuamos a nos expandir, nossa luz interior nos deixará saber quando ela encontra um obstáculo, algo que chamamos de estar em uma situação dolorosa. É quando vocês precisam purificar o caminho, a começar de dentro. É quando a sua alma pede que vocês façam uma pausa e desfaçam todos os obstáculos que estão impedindo a expansão de sua luz interior através de novos horizontes.



Tudo se cria internamente e se experimenta fora. Se vocês estão enfrentando certos desafios, então, devem se conscientizar plenamente e assumir a responsabilidade de compreender que vocês criaram tudo, para começar, apenas porque precisam dominar algo novo ou que ainda não estejam vendo, ou porque precisam continuar aprendendo como utilizar sua frequência. Não há ninguém ou alguma força externa fazendo isso a vocês, a menos que vocês os convidem, quando não reivindicam sua soberania e a propriedade do seu espaço sagrado.



É um momento em que apenas a sua bússola interna os ajudará a navegar por essa nova linha do tempo que estamos tão ansiosos para experimentar. Por enquanto, para nós, apenas a mudança constante será nossa nova realidade, visto que não existe nada fixo ou linear, ou um destino final para se alcançar, mas uma infinita expressão para se vivenciar e desfrutar. Não existe essa coisa de preciso ir àquele lugar e fazer aquilo ou encontrar com essa pessoa, porque assim eu vou me sentir feliz. Não existem coisas que vamos fazer, há apenas a felicidade de se estar plenamente ancorados internamente neste momento único do Agora.



Não precisamos ver para onde estamos indo, ou qual a próxima coisa que vai ocorrer, porque somos nós que decidimos, para começar. Somente precisamos contar com as bênçãos do momento, e com a força e o poder internos que todos possuímos, e que irá nos ajudar a conquistar novos horizontes, independentemente dos vários desafios que encontrarmos, porque agora sabemos que é neles que descobrimos mais crescimento e sabedoria.



Não se trata mais do lugar para onde nos dirigimos, mas do lugar em que estamos agora, e do que fazemos com isso, e o que criaremos no próximo novo momento, que desejamos que seja mágico. A dádiva de fazer o próximo momento conforme gostaríamos não é mais lá fora, nunca esteve lá, sempre esteve internamente, o diferente é que vocês estão respirando, agindo e pensando como seres conscientes do próprio poder e com a sabedoria suficiente para saber como utilizá-lo para se ajudar e ao Todo. Porque agora vocês se lembram que sempre fizeram parte do Todo.



Com amor e a serviço da Consciência da Unidade.



Natalia Alba.



Direitos Autorais:



Natalia Alba – http://www.starseedsoul.com/